Seguidores

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O medo de Marina

O medo de Marina
Nesses últimos dias todos os empresários com quem falei demonstraram uma preocupação crescente com o fenômeno Marina.

Os números e as notícias confirmam o que eu percebi nestes dias: quase todos os empresários da mineração e do agronegócio, duas das principais fontes de divisas do Brasil, estão assustados com a possibilidade de mudança.

O interessante é que a maioria já não quer mais apoiar o governo do PT, que está sendo banido, pela sua incompetência.

O governo de Dilma está terminando tristemente.

Desgastado pela falta de crescimento econômico, números pífios, inflação em alta, pequena geração de empregos, bagunças nas ruas e pela corrupção em seus quadros o PT está favorecendo aos novos candidatos e suas promessas.

Não é para menos.

Na área mineral atravessamos, possivelmente, a pior fase desde que o DNPM foi criado em 1934. Nunca havíamos visto, em toda a história do Brasil Republicano, a pesquisa mineral desmoronar com o aval do próprio governo.

Realmente, essa não é a continuidade que os empresários brasileiros querem. Todos querem mudar, mas mudar para melhor.

É aí que o efeito Marina atemoriza a maioria.

Marina cresceu exponencialmente nas últimas pesquisas, tratorando Aécio e até a Dilma no segundo turno. De repente ela se tornou em um grande tsunami eleitoral que pode virar de cabeça para baixo o Brasil que conhecemos.

Marina significa mudanças, mas mudanças que podem não ser nada boas para a mineração e para o agronegócio.

Ela esbraveja no seu site que “mineração é o setor que mais mata, mutila e enlouquece os trabalhadores. Em uma das atividades mais insalubres e mal remuneradas”.

O que a mineração pode esperar de quem compartilha e propaga essas ideias?

São essas declarações radicais e pouco embasadas, aliadas ao seu histórico que leva a maioria dos empresários a acreditar que quase tudo aquilo que impacta o meio ambiente estará sendo colocado, pela Marina ou no gelo ou no sal.

Assim como no passado, quando ela foi Ministra do Meio Ambiente, projetos de mineração, agronegócio e de energia possivelmente não receberão as licenças ambientais necessárias à sua implantação caso ela seja eleita.

Quando descobrirmos que não é possível alimentar centenas de milhões de brasileiros com orgânicos e com a agricultura familiar será muito tarde.

Quem é do ramo sabe.

Os atrasos com as licenças ambientais, que penalizam todos os grandes projetos do país, quer seja um porto, uma hidroelétrica, uma grande plantação ou uma mina estão entre os maiores entraves ao desenvolvimento. Licenças ambientais que demoram a chegar custam muito à imagem do país além de tempo, dinheiro e empregos. Eles são considerados pelos investidores, como um dos pontos de menor atratividade no Brasil de hoje.

Imagine o que vai acontecer com o Brasil se isso piorar... ?

Esta é a grande dúvida que invade, hoje, o sono dos empresários brasileiros.  Será que Marina traz, consigo o dia do juízo final da mineração e do agronegócio?

Será que o verdadeiro efeito Marina é o caos e um enorme retrocesso econômico?

Você pode estar discordando totalmente deste medo demonstrado por muitos empresários da mineração e do agronegócio, afinal tudo pode não passar de um medo irracional...

A pergunta que se faz é: vale a pena pagar para ver?

Nenhum comentário:

Postar um comentário