Seguidores

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Petrobras: o preço da corrupção

Petrobras: o preço da corrupção


Depois de negar veementemente as acusações de corrupção em suas transações a Petrobras, forçada pelas circunstâncias, capitula e confessa.

A corrupção instalada no seu meio vai custar aos acionistas o equivalente a dez bilhões de reais.

Este é o número publicado pelo O Globo que reflete a auditoria feita na estatal.

Auditoria, aliás, forçada pela recusa da PriceWaterhouseCoopers em assinar os balanços, o que causou inúmeros prejuízos e embaraços à nossa estatal, que ainda tem que responder aos acionistas estrangeiros que agora já poderão quantificar os seus prejuízos.

São considerados, nestes dez bilhões os casos Abreu e Lima, Comperj, Repar, Replan, Henrique Lage e do gasoduto Urucu-Manaus e Cabiúnas.

Ou seja, ainda existem vários casos já denunciados que não foram considerados e que, com certeza irão subtrair, mais ainda, o dinheiro público.

Estas perdas financeiras podem aparecer no balanço do terceiro trimestre que ainda não foi publicado. É um prejuízo considerável em uma empresa que está mergulhada na maior dívida do mundo e que tem um valor de mercado em queda, atingindo hoje US$123,4 bilhões.

Apesar da péssima notícia as ações da Petrobras sobem mais do que 5%.

O motivo é que o mercado já havia precificado o prejuízo e, agora, espera uma menor ingerência do Governo Dilma na Petrobras.

 Será?

Nenhum comentário:

Postar um comentário