Seguidores

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Pedro II As opalas

Pedro II


As opalas



A cidade de Pedro II possui uma característica que pouca gente conhece: abriga uma das únicas regiões de garimpo de opala da América Latina, e no mundo só existem na Guatemala, México, Austrália, Estados Unidos e Japão. As pedras de Pedro II são muito mais resistentes, apresentando-se melhor do que as de seus concorrentes.
A opala é uma pedra abundante no município. Existem basicamente três tipos: a opala negra, de cor preta; a opala de fogo, de cor vermelha; e a opala nobre, considerada extra, com sete cores. A opala é a “pedra da lua”, por apresentar a cor do satélite terrestre. Existem em Pedro II aproximadamente dez garimpos, cada um com suas características próprias, que variam de acordo com a qualidade das pedras. De todas essas minas, a mais importante é a do Boi Morto, a 6 km do centro, hoje praticamente desativada, a não ser pelos poucos garimpeiros que ainda arriscam encontrar cascalho em uma montoeira. As pedras do Mina do Boi Morto são as mais valiosas por apresentarem boa qualidade e bom tamanho.


Ao chegar ao consumidor final, a opala passa por um trabalhoso processo, que envolve desde as escavações até a delicada forma de lapidação. Conheça agora como esse processo funciona:
1) Com exceção da Mina do Boi Morto, que se localiza numa furna, todas as demais são trabalhadas a céu aberto.]
2) Os equipamentos mais usados são: pá, picareta, peneira, enxadeco e bomba de irrigação, que tanto pode ser usada no desbaste, pela pressão da água, como na lavagem do cascalho na peneira.
3) Do garimpo, o material bruto colhido segue para os centros de lapidação, onde se inicia um processo que envolve: serragem do cascalho, através de serra diamantada; formatação da opala, usando rebolo de esmeril carburundo (granulação própria para pedra) ou diamantada; colagem, feita com laquê para colar a pedra na madeira; lixamento, usando-se lixa manual com granulação de 180 a 220; alisamento, feito com feltro usando grão de esmeril, de granulação 320; polimento, usando feltro com pó de Trípoli e óxido de cromo.
5) Na comercialização, a pedra é vendida por quilate e o preço pode chegar a US$ 70.00 na sua qualidade extra, geralmente pedras acima de 10 quilates. O maior centro de compra é São Paulo, com representação já instalada em Pedro II.
Versões
Existem muitas versões para a descoberta da opala em Pedro II. Uma delas conta que tudo aconteceu a partir dos botões da camisa de um antigo morador da cidade. Ao encontrar o mineral, o cidadão resolveu cortá-lo em forma de botão e usá-lo na camisa, chamando a atenção das pessoas. Outra versão conta que o processo de polimento se iniciou com a observação do conteúdo do papo de uma galinha, que ao ciscar no cascalho engolia as opalas, e a sua natureza avícola se encarregava de polir as pedras, encontradas já reluzentes em seu papo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário