Seguidores

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Como é feito os lápis de cor?

Como é feito os lápis de cor?

FABRICAÇÃO

Descubra como é fabricado um dos materiais indispensáveis na mochila de uma criança

A matéria prima do lápis é a madeira, principalmente as de pinheiro
O lápis é um objeto muito utilizado principalmente por crianças, tanto para escrever, quanto para fazer desenhos e colori-los. Mas, como eles são fabricados?
O primeiro passo é coletar a matéria-prima do lápis, que obviante é a madeira, geralmente de pinheiros. Grandes empresas como a Faber-Castell, possuem suas próprias florestas, onde colhem e replantam as árvores. A cada 14 anos é feito uma colheita, e cada pinheiro rende até 9 mil lápis. Além do mais, as toras finas, chamadas de briquetes, também são utilizadas para produzir energia e alimentar as caldeiras da fábrica.
A madeira, após ser retirada, é levada a fábrica, onde é cortada em pequenos pedações retangulares conhecidos como tabuinhas. Em seguida, as ranhuras cilíndricas são demarcadas, no formato perfeito para caber o “miolinho” do lápis. Elas então são levadas para o tingimento e ficam armazenadas por 60 dias para secarem naturalmente.
Já a mina de cor, mais conhecido como miolo colorido do lápis é feito de uma mistura de caulim (um tipo de minério moído), cera, água e pigmento no tom desejado. Todos esses itens são criados em laboratório e misturados em grandes tonéis individuais, um para cada cor, até que virem uma maçaroca, que é prensada e cortada já no formato correto.
Após 20 minutos secando, as minas ficam firmes e grossas, e já começa a soltar cor. Em seguida, em pequenos compartimentos redondos, elas são levadas até um equipamento cilíndrico que as encaixa em cada ranhura da tabuinha, depois outra tabuinha é colada por cima, formando assim um “sanduíche” que é mantido na máquina por 20 minutos até a cola secar.
A mina é a parte central do lápis, conhecido popularmente como miolo do lápis
O sanduíche é então levado automaticamente por uma esteira rolante até a máquina lapidadora, que corta a madeira até dar a forma desejada ao lápis, seja ele circular, triangular ou hexagonal. Após isso, as madeirinhas cruas e já moldadas são transportadas em grandes caixas (separadas por cor) para o setor de tingimento.
Neste setor é onde o lápis irá ganhar o acabamento externo, cada um deles é mergulhado duas vezes na tinta e, em seguida, envernizado. Outra esteira os leva até o carimbador, uma máquina que “imprime”, na lateral no lápis aquele textrino com a marca do fabricantes, o nome e o número da cor. Por fim, há um apontador automático que finaliza o trabalho.
A última etapa é o controle individual de qualidade, no qual funcionários (cada um designado para uma única cor) avaliam a ponta, o tamanho, a aparência e a potência da cor de cada lápis. Ao serem aprovados, eles são colocados novamente em esteiras que separam automaticamente um lápis de cada tom para cair direito na caixinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário