Seguidores

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Como ser otimista

Como ser otimista

5 maneiras de tornar sua vida mais bonita.
A tristeza e o pessimismo pesam na economia, na saúde e nos relacionamentos. Estragam nossas dádivas. Cheguei a essas ideias com minha experiência de vida, as lições de meus sucessos e fracassos e os encontros com filósofos, especialistas e líderes empresariais que promovem o otimismo como algo fundamental. Ele tornará sua vida mais bonita – a sua e a dos outros, porque o otimismo é contagioso. Eis como começar.
1. Cultive o pensamento positivo
É melhor para a saúde buscar emoções positivas: afeto, alegria, satisfação. Os vínculos entre o coração e o cérebro são bem conhecidos. Um único pensamento positivo pode estimular hormônios e neurotransmissores benéficos. A ocitocina é o hormônio do amor, do prazer e do orgasmo. A serotonina regula positivamente nosso humor. A dopamina nos estimula e encoraja. Basta um pensamento, olhar ou sorriso para a pressão baixar e nos sentirmos bem.
Ponha à prova esses princípios científicos. Quando acordar, dedique um momento a recordar ou refletir sobre um sonho ou algo agradável. Quando chegar ao trabalho, esqueça a viagem cansativa ou o mau tempo. Compartilhe algo positivo. Quando um motorista parar para você passar, sorria e acene. Nesses momentos, você sentirá o rosto relaxar e o bom humor tomar conta.
2. Não conte com a sorte
Depois de um revés, muita gente diz: “Sou azarado.” Mas sorte e azar não existem. As pessoas consideradas sortudas saem em busca da boa fortuna, como dizia Maquiavel. Elas tomam a iniciativa e fazem contato com muita gente, aumentando a probabilidade de encontrar a alma gêmea, o emprego, o apartamento. É energia, e não sorte. É força de vontade, espírito de conquista, vontade de avançar. É fundamental nunca perder o ímpeto.
Não acredite que a sorte estará sempre com você. Digamos que você apresente um projeto. Tudo vai maravilhosamente bem. Mas não dá em nada. A explicação é simples. A pessoa com quem você está falando não está interessada, mas não quer desagradá-lo nem perder seu tempo discutindo. Por outro lado, muitas propostas que recebem uma resposta negativa acabam gerando um resultado positivo.
O princípio básico é: nada irá tão bem nem tão mal quanto pensamos. Os otimistas sabem que nada pode ser considerado pressuposto, que tudo tem de ser conquistado.
3. Mantenha o desejo de aprender
O pessimista não tem curiosidade. Perde a oportunidade de conhecer algo ou alguém novo. O otimista sente curiosidade por tudo. A curiosidade é a pedra fundamental do conhecimento. O desejo de aprender é um modo de controlar o ego, a tentação de pensar “sei tudo”. Adquirir habilidades, inclusive as técnicas, alarga nosso horizonte e nos deixa mais felizes. O progresso nos recompensa pelo esforço e contrabalança reveses e frustrações. Faça grande descobertas ou proponha a si mesmo pequenos desafios. O mais importante é se manter alerta.
4. Assuma a responsabilidade
A maioria de nós não desconta as irritações na família, nos amigos nem nos colegas. Nós os poupamos. Para compensar, passamos a desconfiar do mundo. Construímos um mundo virtual onde tudo é interpretado negativamente, inflando o medo do crime, mesmo quando pequeno.
O exagero dos riscos e do sofrimento é um fenômeno coletivo e pode nos afetar individualmente. Está difícil chegar ao fim do mês? Comece não exagerando o sofrimento. Pense também no que vai bem, no que você conseguiu. Em vez de reclamar, olhe em volta e procure quem teve problemas parecidos e possa ajudá-lo.
Se algo vai mal em casa ou no trabalho, a responsabilidade é sua. Você é a principal solução.
5. Não acredite que antes era melhor
Ser otimista significa viver o presente sem se sobrecarregar o tempo todo com a ideia de que antes era melhor ou que a felicidade virá depois.
O filósofo francês André Comte-Sponville disse: “Não faz sentido esperar pelo que não se tem sem gozar o que se tem.” Quando não estamos inteiramente no momento presente, perdemos experiências gratificantes.
É a filosofia da felicidade. Ela está no aqui e agora, no carpe diem dos antigos; temos de aprender com os fracassos e sucessos, nos aprimorar, não deixar as oportunidades passarem e, é claro, nunca protelar nada.

Retirado do livro 50 bonnes raisons de choisir l’optimisme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário