Seguidores

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

LAPIDAÇÃO VIRTUAL

LAPIDAÇÃO VIRTUAL



A indústria joalheira pode melhorar seus índices de produtividade em diversos níveis com a utilização de recursos tecnológicos mais avançados atualmente disponíveis. Os sistemas de projeto e manufatura assistidos por computador - CAD-CAM (computer aided design-computer aided manufacturing) - são compostos de softwares de modelamento tridimensional e hardwares que interpretam estes modelos, produzindo de forma rápida e precisa um sólido tridimensional (MIRANDA, 2003). Embora essa tecnologia já seja amplamente utilizada nas indústrias metal-mecãnica e de plásticos, pela sua grande escala de produção, é recente o interesse da indústria joalheira em relação à prototipagem rápida, surgido após seu relativo barateamento.
Existem no mercado alguns programas computacionais que incluem pacotes específicos voltados para a construção virtual de anéis, brincos e pulseiras, pois fornecem um conjunto preconcebido de formas e seções de aros, caixas para cravação e modelos básicos de lapidação. Softwares como o 3DMax Studio, JewelCad, Rhinoceros e seus plugins, dentre outros, têm sido cada vez mais utilizados no design de jóias. Por promover a visualização do objeto em três dimensões, essas ferramentas eliminam os erros do desenho e possibilitam construir geometrias precisas e mais complexas.
Talvez seu maior benefício seja eliminar o risco de descaracterização do projeto original que pode ocorrer na forma tradicional de produção de uma jóia, com as interferências feitas ao longo do processo pelo modelista, ourives, cravador ou mesmo pelo dono da indústria (TEIXEIRA, 2001).
Ao fornecer ao designer as ferramentas necessárias para projetar e construir o protótipo tridimensional de uma jóia, o sistema CAD-CAM promove um salto tecnológico sem precedentes no design de jóias.
Para o setor de lapidação de gemas também já existem aplicações CAD-CAM, embora seja uma tecnologia ainda em desenvolvimento, com poucos softwares específicos e equipamentos automatizados insensíveis às sutilezas do polimento.
Cabe ressaltar que na indústria de lapidação de diamantes, mais avançada em todos os aspectos, é comum a utilização de equipamentos computadorizados. Alguns equipamentos de uso cotidiano nessa indústria são scanners tridimensionais que capturam a geometria de uma gema bruta e posicionam internamente um sólido na forma da gema lapidada, buscando o melhor aproveitamento possível. As máquinas atuais de lapidação de diamantes também contam com um sistema de medição de rugosidade de superfície que verifica a qualidade do polimento por meio de um sensor acoplado.
Essa tecnologia ainda não é aplicada para a lapidação de gemas coradas. Nessa indústria, a principal tecnologia disponível atualmente são os programas computacionais de auxílio ao projeto (CAD) que permitem simular a lapidação e quantificar seus resultados. Com a utilização de um conjunto de softwares é possível recriar o processo de facetamento, medir as interações da luz com a gema facetada virtualmente e representar uma gema lapidada com hiper-realismo.
O processo de lapidação mais aplicável às gemas de maior valor é o facetamento, que gera sólidos na forma de poliedros com quantidade e disposição determinada de facetas. Esse processo pode ser totalmente reproduzido no computador, inclusive com facetamento negativo ou “côncavo”.

Fig 1: Facetamento de gema virtual
A geometria da gema lapidada controla a forma como os feixes de luz se comportam na sua interação com esta gema. A alteração dessa geometria, por sua vez, gera diferentes comportamentos da luz no interior da gema, resultando em gemas de maior ou menor brilho, cor e “fogo”.


Comportamento da luz a partir da alteração dos ângulos de corte
da coroa (ou ‘frente”, porção superior da gema)
O estudo do problema da interação da luz com a gema na forma de um poliedro permite entender as diferentes possibilidades obtidas com as diversas técnicas de lapidação. As ferramentas tecnológicas e os recursos computacionais aplicados aos projetos permitem adequar essas técnicas às diferentes gemas existentes, gerando modelos específicos de lapidação. Dessa forma é possível antecipar o aspecto final do produto, com economia de tempo e sem os riscos de perda de material.

Simulação de gema lapidada (Render Prof. Henrique Lana)

Nenhum comentário:

Postar um comentário