Seguidores

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

NAPOLEÃO I E AS JÓIAS DA COROA DA FRANÇA

NAPOLEÃO I E AS JÓIAS
DA COROA DA FRANÇA


Durante a Revolução Francesa, a coleção das jóias e diamantes pertencentes à Coroa da França, iniciada por Francisco I e enriquecida por Luís XIV, foi exposta ao público a partir de 1875 no edifício conhecido à época como Garde-Meuble e teve uma grande parte dela roubada em 1792 (vide artigo de minha autoria, “O Grande Roubo das Jóias da Coroa Francesa” ) e jamais recuperada.
Napoleão I, ao tornar-se imperador dos franceses, passa a empreender a reconstituição do tesouro roubado, comprando uma grande quantidade de gemas e comissionando ourives parisienses com a confecção de magníficas jóias, dentre as quais as famosas parures usadas pelas imperatrizes francesas Josefina e Maria-Luísa, e pela rainha da Holanda Hortense de Beauharnais, filha de Josefina.
A imperatriz Josefina, que tinha uma grande paixão por jóias, possuía uma grande quantidade de parures e de gemas como diamantes, rubis, opalas e esmeraldas. Na ocasião de sua morte, em 1814, e apesar do seu divórcio de Napoleão (1809), belíssimas jóias foram encontradas guardadas em seu quarto do castelo Malmaison. Quase nada chegou aos nossos dias.
Após o segundo casamento do imperador, celebrado em 1810, novas parures de Estado (pertencentes às jóias da Coroa) foram criadas para a nova imperatriz. O mesmo ourives de Josefina, Monsieur Nitot, confecciona uma magnífica parure de diamantes, compreendendo uma tiara para o alto da cabeça (haut-de-tête), um diadema, um colar, dois brincos em girândola, uma escova para cabelos, dois braceletes, um cinto e dez ornamentos para vestido. No diadema resplandeciam os diamantes Mazarino 7 e 8, e no cinto os diamantes Mazarino 17 e 18. No mesmo ano, Monsieur Nitot confecciona uma parure de pérolas, uma de rubis e diamantes, e uma outra de turquesas e diamantes. Em 1811 foram anexadas às jóias de Maria-Luísa uma parure de safiras e diamantes e uma de ametistas e diamantes. A imperatriz, austríaca, bem mais nova que Napoleão e irmã da imperatriz brasileira Leopoldina, recebeu ainda de presente e como jóias pessoais, magníficas parures, uma delas toda em rubis brasileiros e outra em topázios rosados. Quando da ocasião do nascimento do único filho que teve com Maria-Luísa, conhecido por rei de Roma, Napoleão I presenteia sua esposa com uma jóia suntuosa: um colar de diamantes, obra também de Nitot, composto por um total de 234 gemas.
Hortense de Beauharnais---> Hortense de Beauharnais, filha de Josefina com seu primeiro marido, general Beauharnais, casou-se com Luís Bonaparte, rei da Holanda e irmão do ex-marido de sua mãe, Napoleão I. Entre outras belíssimas jóias, é famosa a sua parure de esmeraldas e diamantes, que encontra-se no Louvre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário