Seguidores

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O Rio Tapajós subiu rápido e o ouro desapareceu

Fofoca do garimpo dos Periquitos, no Remanso dos Macados, durou menos que um sonho de verão


O Rio Tapajós subiu rápido e o ouro desapareceu

O garimpo Remanso dos Macacos, que foi descoberto há cerca de 40 dias atrás, iludiu, como sempre, muita gente. Na euforia da garimpagem, alguns garimpeiros ainda conseguiram extrair certa quantidade de ouro, que empolgou muita gente atraída pelo Novo Eldorado, mas o Remanso dos Macacos não passou de ilusão e hoje o blefo toma conta.

No seu auge, aquele novo garimpo, chegou a abrigar em torno de 80 balsas, e o que se vê hoje são balsas sendo removidas e outras atracadas nas margens do Rio Tapajós, sem funcionar, numa clara demonstração da ilusão que o Remanso dos Macacos é para o garimpeiro.

Dezenas de pessoas, ao saberem da “fofoca” compraram motores, mangueiros e etc. e montaram balsas. Hoje o que estamos vendo ali é o abandono dos equipamentos, que ninguém sabe quem vai pagar o prejuízo.

Ainda, acreditando em encontrar ouro, cerca de 5 balsas continuam insistindo na atividade, que não compensa por causa das despesas. No auge daquele garimpo se tirava 100, 120 gramas num dia e hoje estão sendo retiradas 2 gramas. O garimpo do Remanso dos Macacos foi mais uma ilusão de ouro que marca a historia de um dos maiores depósitos auríferos do planeta, O TAPAJÓS.



Estive esta semana, mais precisamente quarta feira, dia 24 no garimpo e vi de perto o desespero de quem investiu comprando equipamentos para garimpar, outros desmontando balsas e levando seus equipamentos. A lamentação é geral; são dezenas de balsas abandonadas nas margens do Rio Tapajós. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário