Seguidores

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

'The Wall Street Journal': Setor de mineração se entusiasma com promessas de Trump

'The Wall Street Journal': Setor de mineração se entusiasma com promessas de Trump

Alguns executivos dizem que novo presidente pode acabar prejudicando

Matéria publicada nesta sexta-feira (10) pelo The Wall Street Journal conta que quando Donald Trump venceu a eleição para presidente dos Estados Unidos, em novembro, foi um momento animador para Ivan Glasenberg. O diretor-presidente da Glencore PLC, uma das maiores mineradoras e trading de commodities do mundo, acredita que o programa de US$ 1 trilhão em investimentos em infraestrutura proposto por Trump poderia impulsionar os preços dos minerais que a empresa suíça extrai e negocia, de acordo com pessoas a par do assunto.
O entusiasmo com a proposta de Trump é amplamente compartilhado no setor mundial de mineração, segundo entrevistas feitas esta semana pelo The Wall Street Journal com mais de uma dezena de executivos e especialistas durante o evento Investindo nas Minas Africanas Indaba, o principal do setor no mundo. O governo Trump foi um tema constante no evento, alimentando discussões políticas em painéis e conversas em geral.
> > The Wall Street Journal Mining Executives Extol Donald Trump’s Policies
Segundo a reportagem as ações das empresas de mineração subiram bastante desde a eleição de Trump. Tanto o portfólio do BlackRock World Mining Trust, da gestora de fundos BlackRock Inc., um dos maiores detentores de ações do setor, quanto o Índice S&P de Metais e Mineração, acumulam alta superior a 20% desde a eleição. Isso comparado com o ganho de 9,4% da Média Industrial Dow Jones. As metas de gastos de Trump, assim como seus planos de reduzir as regulações impostas sobre recursos emissores de carbono, como o carvão, podem beneficiar a indústria global, dizem executivos de mineradoras.
Metas de gastos de Trump, assim como seus planos de reduzir as regulações impostas sobre recursos emissores de carbono, como o carvão, podem beneficiar a indústria global, de acordo com reportagem
Metas de gastos de Trump, assim como seus planos de reduzir as regulações impostas sobre recursos emissores de carbono, como o carvão, podem beneficiar a indústria global, de acordo com reportagem
O diário norte-americano acrescenta que os planos de Trump de gastar US$ 1 trilhão em estradas, pontes, aeroportos e outras obras de infraestrutura ainda não se materializaram em uma legislação. Os gastos em infraestrutura têm sido mais apoiados pelos Democratas do que pelos Republicanos no poder e é parte de uma vasta e complicada agenda que inclui uma reforma fiscal e uma possível revogação do “Affordable Care Act”, a lei de saúde criada por Barack Obama que ficou conhecida como “Obamacare”.
Journal aponta que durante a campanha, Trump disse ser é “a última aposta dos mineradores”. O plano de Trump para o setor define que sua meta é “maximizar o uso dos recursos americanos” e ressuscitar “a indústria de carvão americana, que vem sendo prejudica há muito tempo”. As perspectivas para os mineradores de carvão dos EUA foram reduzidas drasticamente ao longo dos últimos anos, à medida que o gás natural, abundante e barato, foi substituindo o carvão como principal opção energética no país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário