Seguidores

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Uma amostra de lamproíto encontrada e descrita no Tapajós- Pará

Uma amostra de lamproíto encontrada e descrita no Tapajós- Pará


Em 2013, foi encontrada por um geólogo, num rejeito de dragas do rio Tapajós, uma amostra de rocha de características totalmente alheias ao ambiente geológico local. Mesmo considerando o possível transporte por não ser uma amostra “in situ”, a descrição da lâmina delgada abaixo com características lamproiticas associada à presença inconteste ha alguns quilómetros de distância de diamantes deixa vislumbrar uma possível ligação entre estes e a amostra encontrada.
Descrita por nós espontaneamente e as nossas custas, estamos compartilhando a descrição para conhecimento público, e aproveitamos para fazer um chamado para informações a respeito de eventual conhecimento de amostra similar na região.
A descrição será apresentada em português e inglês para atender nossos leitores de fora do Brasil 

Descrição da amostra

Trata-se de uma rocha ígnea de jazimento hipoabissal a subvulcânica com grau de visibilidade afanítica a subfanerítica, em que a relação geométrica entre seus cristais é panidiomórfica ou lamprofírica. A rocha tem o índice de coloração mesocrático exibindo uma trama hialopilítica a fluidal e composição química de natureza intermediária ou insaturada em relação à sílica. A rocha apresenta-se com intensa e generalizada alteração por fluidos hidrotermais não mais permitindo a identificação dos seus componentes minerais originais. O arranjo textural mostra grãos maiores ou fenocristais completamente sericitizados, porém mantendo o seu idiomorfismo original. Esses fenocristais além de apresentarem seus contornos euédricos exibem um zoneamento magmático interno reliquiar ou remanescente. Esses fenocristais completamente alterados a agregados microcristalinos de sericita orientam-se preferencialmente segundo uma direção fluidal-magmática. Esses fenocristais estão imersos em uma matriz clorito-sericitica que se dispõe segundo uma direção fluidal de natureza primária a qual se associam abundantes e diminutos grânulos opacos sob a forma cristalina do sistema cúbico ou isométrico. Nessa matriz esverdeada as palhetas de clorita comportando-se como se fossem microlítos se associam intimamente a abundantes cristais prismáticos de uma falsa zeolita do tipo prehnita. Não obstante a intensa alteração hidrotermal dos seus componentes minerais, a textura panidiomorfica porfiritica numa matriz fluidal microcristalina são indicativos que apontam,  num primeiro momento, para uma rocha resultante de líquidos lamprofíricos, com possível vinculação genética e espacial a uma fase de magmatismo shoshonitico inserido faciologicamente no magmatismo representado pelo Granito Maloquinha ou pelo Vulcanismo Iriri, integrantes do Supergrupo Uatumã. Para melhor caracterizar a importância metalogenética dessa rocha é imperativa a sua análise química para confirmar, sobretudo o seu teor potássico para possíveis indicações ou especializações de mineralizações do tipo Au-sulfetos. A vinculação dessas rochas com complexos vulcânicos shoshoniticos com superposição de expressiva de voláteis e fluidos hidrotermais pode também caracterizar sua relação com sistema tipo Pórfiro ou Au epitermal. Os lamprofiros quando intimamente e geneticamente relacionados às rochas lamproíticas e kimberlíticas podem ser indicativos de importância metalogenética para ocorrência de diamante. Melhores estudos e mais seguras caracterizações dessa rocha serão possíveis sobre tipos que deverão ser amostrados em melhores condições de inalterabilidades superficiais, intempericas e hidrotermais. A natureza e a caracterização lamprofírica contida nessa descrição estão muito prejudicadas pela intensa alteração da amostra coletada e estudada na escala microscópica.
Sample description

It is an igneous rock from a hipoabissal to subvolcanic deposit with  visibility degree of aphanytic to subphanerytic , in which the geometric relationship between its crystals is panidiomórphic or lamprophyric . The rock has the index mesocrátic staining displaying a hialopilytic to fluidal grid and chemical composition of intermediate or unsaturated about silica. The rock display an intense and pervasive alteration by hydrothermal fluids not allowing identification of their original mineral components . The textural arrangement shows larger grains or phenocrysts completely sericitized while maintaining its original morphology. These phenocrysts in addition to presenting their euhedral outlines exhibit reliquiar or remaining internal magmatic zoning. These phenocrysts completely altered to sericite microcrystalline aggregates are oriented preferably according to a magmatic fluidal - direction. These phenocrysts are immersed in a chlorite - sericitic matrix that provides preferential direction according to a fluidal primary nature which are associated with abundant tiny opaque granules that are in crystalline form and cubic or isometric system. In this greenish chlorite matrix, chlorite vanes behaving as if they are microliths are intimately associated with abundant prismatic crystals of a false zeolyte  type of prehnyte. Despite the intense hydrothermal alteration of its mineral components, the porphyritic and panydiomorfic texture in a microcrystalline fluidal matrix is indicative, at first, that is a rock resulting from lamprophyric liquids with spatial and possible genetic linkage to a phase of shoshonitic magmatism faciologically inserted inside magmatism represented by Maloquinha granite or at Iriri Volcanism, both members of the Uatumã Supergroup. To better characterize the metallogenic importance of this rock it is imperative to confirm its chemical analysis, especially its potassium level for possible indications of mineralizations or specializations. Linking these rocks with shoshonitic volcanic complexes with overlapping expressive volatile and hydrothermal fluids can also characterize their relationship with porphyry type or epithermal Au system. The lamprophyres when and genetically closely related to kimberlite and lamproítyc  rocks may be indicative of metallogenic significance for the occurrence of diamond. Best and safest studies and characterizations are necessary on this rock types to be sampled in better surface, weathering and hydrothermal inalterability . The lamprophyric characterization contained in this description is damaged by the intense alteration of the sample collected and studied in the microscopic scale

Nenhum comentário:

Postar um comentário