Seguidores

quarta-feira, 8 de março de 2017

Amarillo poderá produzir 140 mil onças em Mara Rosa

08/03/2017
OURO

Amarillo poderá produzir 140 mil onças em Mara Rosa

A Amarillo Gold anunciou os resultados da atualização do Estudo de Pré-viabilidade, de acordo com a norma canadense 43.101, do depósito de ouro Posse, que faz parte do projeto Mara Rosa, no estado de Goiás, controlado integralmente pela empresa.
Dois cenários de mineração a céu aberto foram considerados no estudo de pré-viabilidade: o primeiro prevendo equipamento de mineração operado pela própria empresa e o segundo prevendo que a lavra seria executada por empresa contratada. O cenário de lavra contratada foi selecionado como o principal, principalmente devido ao menor capex inicial e uma maior taxa de retorno. Para o cálculo, considerou-se o preço do ouro a 1.200 dólares/onça e uma taxa de câmbio de R$ 3,20 por dólar. Neste cenário, os gastos iniciais de capital (incluindo o capital de operação) somariam US$ 148 milhões. A taxa de retorno seria de 35,2% e o pay back de 2.2 anos. O custo de caixa operacional ficaria em US$ 545/Oz e o All In Sustaining Cost em US$ 627 por onça de ouro produzida. O Ebitida projetado seria de US$ 86,5 milhões por ano durante os quatro primeiros anos e a produção anual prevista é de 140 mil onças/ano também nos primeiros quatro anos, enquanto a vida útil da mina, para uma escala de produção de 112 mil onças por ano, seria de 8 anos.
As reservas prováveis são de 997.536 onças de ouro, acima das 945 mil onças previstas pelo estudo de pré-viabilidade realizado em 2011, sendo o total de ouro recuperável de 892 mil onças.
De acordo com Buddy Doyle, CEO da Amarillo, o novo estudo de pré-viabilidade claramente estabelece padrões superiores para o projeto Mara Rosa. “Trata-se de um projeto simples, de mina a céu aberto, com um período de payback de apenas 2 anos”. Para ele, o empreendimento se beneficia por estar em um estado pro-mineração, como Goiás, onde há excelente infraestrutura e várias minas.
A Amarillo já obteve a Licença Prévia para o Projeto e agora espera receber a LI, que possibilita o início da implantação do empreendimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário