Seguidores

sábado, 4 de março de 2017

COMO IDENTIFICAR UM DIAMANTE VERDADEIRO

COMO IDENTIFICAR UM DIAMANTE VERDADEIRO




Seja para saber se as suas joias tem diamantes verdadeiros ou para não correr riscos antes de presentear alguém especial, é sempre útil conhecer dicas para conferir se uma pedra preciosa é autêntica ou não.




O que não falta no mercado são as versões falsificadas de diamantes. A melhor (porém mais cara) solução para esse problema é pagar um joalheiro de boa reputação e de confiança para avaliar a joia sem danificá-la. Além disso, ele não pode ficar acompanhando você por diversas joalherias para pesquisar o melhor preço, por exemplo. Confira as dicas a seguir para identificar um autêntico diamante.

1 - Várias joalherias emitem certificados de autenticidadePorém, é preciso tomar alguns cuidados para não comprar gato por lebre.
Um certificado confiável inclui os seguintes itens:
  • Nome e CNPJ do estabelecimento emitente;
  • Número de registro no conselho de classe, inscrição municipal, titulação e assinatura do gemólogo autônomo (responsável técnico);
  • Número e registro do certificado e data. Caso esteja interessado/a em mais detalhes sobre certificados de autenticidade de pedras preciosas, vale a pena visitar o site da GEM LAB - Gemologia e Engenharia Mineral.
2 - Observe como a luz reflete na pedra. Os diamantes tem um alto poder de refração, ou seja, eles conseguem “dobrar” os raios de luz que passam por eles. É graças a essa propriedade que eles brilham tanto. O vidro e o quartzo usados em imitações tem o poder de refração muito menor, mesmo que tenham sido lapidados de forma a imitar um diamante.
  • Caso o seu diamante esteja solto (ou seja, não está preso a um anel ou brinco, por exemplo), você pode fazer o seguinte teste: coloque-o em cima de uma folha de jornal. Se você conseguir ver as letras impressas através do diamante, é provável que ele seja falsificado.
  • Se a pedra apresentar refração dupla (um ponto em que as linhas ficam duplicadas, como se você estivesse bêbado e passasse a ver tudo em dobro), é provável que se trate de Moissanite, um mineral bastante usado em imitações. A semelhança é tão grande que até os joalheiros tem dificuldade em notar a diferença. Olhe para o diamante de cima para baixo para verificar se não há refração dupla.
  • Outro teste: Com uma caneta, desenhe um ponto preto em uma folha de papel. Coloque o diamante em cima desse ponto. Caso dê para enxergar um círculo preto através do diamante, é porque ele é uma imitação.
3 - Observe os reflexos de luz da pedra. Os reflexos de um diamante de verdade tem tons de cinza. Caso você encontre reflexos coloridos, é porque o diamante em questão é de baixa qualidade ou, pior ainda, uma falsificação. 
4  Exame microscópico: virando o diamante de cabeça para baixo, verifique se há reflexos alaranjados quando você move a pedra. Em caso afirmativo, você está lidando com uma imitação.
5 - Se você achar que compensa pela frequência com que deve verificar a autenticidade de diamantes, há testadores  que usam laser ou raios UV para indicar se um diamante é falso. O preço médio de um aparelho testador gira em torno de 2500 reais.

6 - O peso entrega o ouro. Outro mineral usado para imitar diamantes é o dióxido de zircônio (ou zircônia cúbica). Ele é 55% mais pesado do que o diamante. Se você já tem certeza de que um diamante é verdadeiro, basta comparar esse com outro com o mesmo formato e tamanho que ainda não foi testado e pesar os dois. O mais pesado será o falso.
7 - Fique de olho no metal que acompanha o diamante na joia. É muito pouco provável que um diamante verdadeiro esteja acoplado a um metal barato. O quilate do metal gravado na parte de dentro da joia é um bom sinal (10K, 14K, 18K, 585, 750, 900, 950, PT, Plat). Já as iniciais "C.Z." representam a zircônia cúbica (usada para imitar diamantes).

8 - Você pode usar uma lâmpada de luz negra para ver se os seus diamantes ficam com uma cor azul-fosforescente - sinal de que são verdadeiros. Mas se a qualidade do diamante for excepcional, ele pode NÃO ficar azul. Mas este teste já serve para uma primeira triagem, por exemplo. A moissanite, por sua vez, apresenta uma fluorescência esverdeada, amarela ou cinza sob a luz ultra-violeta.
9 - Você pode também submeter as pedras preciosas a um teste usando uma sonda termoelétrica. A Presidium Gem Tester é uma das marcas no mercado. Os diamantes verdadeiros dispersam calor rapidamente e não vão esquentar com a sonda. A vantagem deste método é que ele não danifica as pedras como outras formas de teste existentes. 

10 - Use o “bafômetro”: Coloque o diamante na frente da boca e solte o ar pela boca, da mesma forma que você faz com o espelho quando quer escrever com o dedo nele. Se a pedra continuar embaçada passados 2 segundos, é muito provável que se trate de uma falsificação. Um diamante de verdade dispersa o calor instantaneamente, ou seja, não fica embaçado. Use um diamante que você já sabe que é verdadeiro e compare com a pedra suspeita. Bafeje nas duas ao mesmo tempo. A verdadeira vai continuar sem embaçar.


11 - Se puder, passe o diamante por um aparelho de raio X. Diamantes de verdade são invisíveis ao raio X. Já os materiais como o vidro, cristal e zircônia cúbica usados em imitações vão aparecer discretamente. 
12- Uma lupa de joalheiro pode identificar imperfeições encontradas em diamantes de verdade. Diamantes fabricados em laboratório (que normalmente passam por todos os testes acima) e aqueles feitos com zircônia cúbica NÃO apresentam nenhuma imperfeição.

13 -  Coloque o diamante dentro de um copo cheio d´água. Se ele “desaparecer” na água, é porque se trata de quartzo ou vidro.

14 - Os diamantes conseguem riscar vidro, mas o problema é que muitas imitações também conseguem. 

15- Não poderá repetir, pois seu diamante desaparecerá.
Sendo ambos formados de carbono, eles podem ser queimados, produzindo gás carbônico, CO2. Aqueça o diamante até ele ficar bem vermelho e depois o mergulhou em um béquer com oxigênio líquido. Como toda reação de oxidação, ela é exotérmica e, por isso, dá pra se ver o brilho intenso e a temperatura indo pras cucuias.




Caso decida levar suas joias para serem avaliadas profissionalmente, o IBGM - Instituto Brasileiro de Gemas e Metais preciosos cobra  por hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário