Seguidores

sábado, 4 de março de 2017

OURO BRANCO

OURO BRANCO


As primeiras ligas de ouro branco foram desenvolvidas na Alemanha, como uma alternativa à Platina, por volta de 1912/1913. Após uma série de tentativas e erros, passou-se a utilizar ligas com níquel.
O níquel (Ni) possui três grandes vantagens: confere à liga maior dureza, maior  elasticidade e reduz o preço. Mas muitas são suas desvantagens: a liga é quebradiça, tem pouca expansibilidade, mas o principal inconveniente é o fato de causar alergia em muitas pessoas.
Atualmente, as ligas com paládio (Pd) invadiram o mercado. Essas ligas são menos propensas a rachaduras e não oxidam, dada a nobreza do próprio paládio. Muito fácil de se trabalhar, possui apenas os inconvenientes da pouca dureza e elasticidade, e o custo agravado pela alta densidade. O paládio ainda confere grande expansibilidade, tornando a liga muito boa para se trabalhar com cinzel e melhora aparência. Sua cor é mais bonita e sua superfície mais homogênea, sendo ainda altamente durável dispensa assim o banho de ródio.
O ouro branco (com Ni ou Pd) não pode ser aquecido quando em contato com carvão ou gesso; ele reage com o enxofre presente nesses materiais.
Um detalhe importante deve ser observado: uma peça com liga de níquel após ser recozida não deve jamais sofrer choque térmico. Já em ligas de paládio, o choque térmico é necessário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário