Seguidores

terça-feira, 18 de abril de 2017

Cobre opera em baixa, acompanhando queda nos preços do minério de ferro

Cobre opera em baixa, acompanhando queda nos preços do minério de ferro


Os preços do cobre caíram nesta terça-feira, com a queda nos preços do minério de ferro superando os dados positivos da China e levando os preços do cobre para baixo. Por volta das 7h15 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,40%, a US$ 5.658,00 por tonelada. Já na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para maio tinha queda de 1,54%, a US$ 2,5560 por libra-peso, às 8h03 (de Brasília).
Os ganhos do cobre foram apagados durante a abertura dos negócios em Londres, refletindo uma baixa nos preços do minério de ferro, que caíram 6,5% desde que a Bolsa de Metais de Londres fechou antes do feriado prolongado de Páscoa, de acordo com Matt France, da Marex Spectron.
Nos últimos dias, os preços de futuros de aço e de minério de ferro caíram, pressionados por uma combinação da forte produção e da demanda em queda por parte da China. Os preços do minério de ferro perderam mais de um terço de seu valor em relação à alta de quatro anos de março, com o aço recuando mais de 20%.
Segundo o Commerzbank, as perdas para o cobre vieram apesar de dados positivos da economia chinesa. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês cresceu 6,9% no primeiro trimestre de 2017 em relação a igual período do ano passado, segundo números oficiais. O dado superou a expectativa de alta de 6,8% dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. A China é o maior consumidor de cobre do mundo e, por isso, os indicadores econômicos do país tendem a influenciar a cotação do metal.
Segundo France, da Marex Spectron, se os dados do PIB chinês tiveram pouco impacto duradouro sobre os preços do cobre, os terremotos no Chile durante o fim de semana proporcionaram um impulso similarmente curto para o metal. Entre outros metais básicos negociados na LME, os resultados eram mistos. Por volta das 7h15, o alumínio subia 0,70%, a US$ 1.932,00 por tonelada; o estanho avançava 0,87%, para US$ 19.800,00 por tonelada. Já o zinco caía 1,11%, para US$ 2.593,00 por tonelada; o chumbo recuava 1,45%, a US$ 2,207,50 por tonelada; e o níquel baixava 1,13%, para US$ 9.595,00 por tonelada.
Fonte: Dow Jones Newswires

Nenhum comentário:

Postar um comentário