Seguidores

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Companhias investem na venda de água mineral

Companhias investem na venda de água mineral


A garrafa de vidro com um design diferente e um rótulo com letras pretas grandes poderia ser de uma ótima marca de vodka. À venda por £80 (US$99) no Harrods, uma loja de departamento elegante em Londres, o preço marcado na etiqueta era mais um sinal de uma excelente bebida alcoólica. Mas, na verdade, era uma garrafa de água mineral proveniente de fontes de icebergs noruegueses com 4 mil anos. Svalbardi é uma das centenas de marcas de água mineral originárias de lugares exóticos e comercializadas como produtos de luxo.
Do básico ao caro, o mercado de água mineral atrai a atenção dos investidores. De acordo com a empresa de consultoria Zenith Global, o mercado mundial cresceu 9% por ano ao longo dos últimos anos, com um valor estimado em US$ 147 bilhões. Esse boom de vendas de água mineral é um reflexo em parte da mudança de estilo de vida. As pessoas estão cada vez mais ocupadas em suas atividades diárias distantes de casa e frequentam mais os restaurantes.
O hábito de beber refrigerantes e álcool está sendo substituído pelo consumo de bebidas saudáveis. Segundo dados da Beverage Marketing Corporation (BMC), a venda de água mineral superou a de refrigerantes nos Estados Unidos em 2016.
As marcas básicas, como a Aquafina da PepsiCo, competem em preço e têm margens de lucro reduzidas. O custo da matéria-prima, proveniente de fontes naturais ou municipais é insignificante, mas os custos de embalagem, distribuição e comercialização pesam no produto final. Porém, convencer os clientes a pagar um preço caríssimo por um produto que não tem um sabor especial e que pode ser bebido de graça nas torneiras da maioria dos países desenvolvidos, não é uma tarefa fácil.
Mas o aperfeiçoamento do padrão de qualidade de produtos existentes tem atraído o consumidor mais sofisticado. Embora ainda represente uma pequena parcela do mercado americano, a comercialização da água mineral cara, à venda por um preço superior a US$1,30 por litro, tem sido uma das áreas de crescimento mais rápido, segundo a BMC.
Fonte: Opinião e Notícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário