Seguidores

domingo, 9 de abril de 2017

O TESOURO DE WINCHESTER

O TESOURO DE WINCHESTER

Arqueólogos britânicos encontraram vários exemplos de elaborados ornamentos pessoais usados pela elite da sociedade que dominava a região perto de Winchester, Reino Unido. Esses ornamentos, datados em torno de 100 AC-50 DC (Idade do Ferro), provam a criatividade e o esmerado trabalho dos ourives da Antiguidade na Grã-Bretanha. Exemplares confeccionados em ouro, electrum, prata e bronze, principalmente torcs (colar geralmente rígido rente ao pescoço composto quase sempre por fios de ouro retorcidos; representavam riqueza, poder e coragem e também eram usados pelos homens em batalhas para demonstrar também grau de comando), broches e braceletes estão entre o maior número das jóias encontradas.

Os ourives dessa região, situada na Inglaterra, usavam o ouro quase puro (acima de 90%). Os torcs encontrados possuem fechos que não eram usuais aos ourives celtas e usavam as técnicas decorativas da filigrana e da granulação, fixadas à peça com uma técnica conhecida como solda de difusão. Enquanto a maioria dos torcs era rígida, os encontrados em Winchester eram grossos, porém flexíveis, devido à utilização de centenas de anéis para compor a malha de cada corrente que forma o torc. Os broches possuíam um alfinete de segurança e eram usados aos pares, porque serviam para prender o manto às roupas usadas na Idade do Ferro.
É interessante notar que o tipo e a decoração das jóias encontradas era notadamente celta, mas a técnica de confecção era romana. Então, podemos pensar que ou foram feitos por ourives romanos a serviço de um governante britânico ou foram confeccionados deliberadamente ao estilo celta, e oferecidos pelo César reinante em Roma a algum rei ou senhor-da-guerra local, como presente diplomático.
Os arqueólogos não encontraram nenhuma evidência de comprovação do porque das jóias encontradas perto de Winchester terem ido parar lá: se foram enterradas por segurança contra ladrões ou saqueadores, como uma oferenda aos deuses ou para acompanhar os mortos na sua jornada para a outra vida, a resposta permanece um mistério.

Nenhum comentário:

Postar um comentário