Seguidores

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Dólar sobe ante o real com cautela sobre cena política

Dólar sobe ante o real com cautela sobre cena política

quarta-feira, 24 de maio de 2017 17:27 BRT
 


]

Notas de dólares dos Estados Unidos
26/03/2015
REUTERS/Gary Cameron/File Photo
1 de 1Versão na íntegra
Por Claudia Violante SÃO PAULO (Reuters) - Depois de iniciar a sessão em queda, com os investidores um pouco mais otimistas, o dólar inverteu o movimento e acabou fechando em alta frente ao real nesta quarta-feira após fortes manifestações contra o presidente Michel Temer e as reformas da Previdência e trabalhistas que aconteceram em Brasília. O dólar avançou 0,39 por cento, a 3,2791 reais na venda, mas chegou a bater 3,2833 reais na máxima do dia, na reta final do pregão. Na mínima, a moeda norte-americana foi a 3,2487 reais, quando os investidores ainda tinham a percepção de que a crise política envolvendo Temer não impediria a tramitação das reformas no Congresso Nacional. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,25 por cento no final da tarde. "A insegurança gerada por um ambiente político conturbado... e manifestações agressivas nas ruas fazem com que os investidores busquem ativos mais seguros", comentou o operador da Advanced Corretora, Alessandro Faganello. Em Brasília, os Ministérios foram esvaziados após tumultos violentos entre policiais e manifestantes que protestavam contra o presidente e as reformas. Temer autorizou o uso das Forças Armadas na capital para garantia da lei e da ordem. Temer é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça, investigação aberta com base em acordo de delação fechado por Joesley Batista, do grupo JBS. O presidente teve uma conversa gravada pelo empresário. Por boa parte deste pregão, o dólar foi negociado em baixa ou com leves variações frente ao real, com os investidores apostando numa solução para a crise política pelos partidos da base do governo que viabilizasse a votação das reformas. "Está ganhando força no mercado a crença na solução através de eleição indireta com um nome de consenso, que deve manter a tramitação das reformas estruturais", afirmou pela manhã o diretor da consultoria de valores mobiliários Wagner Investimentos, José Faria Júnior. Temer já negou que renunciará e uma possibilidade dele deixar o cargo seria por meio do julgamento de ação no Tribunal Superior eleitoral (TSE), que pode cassar a chapa Dilma Rosseff-Temer, marcado para 6 de junho. Depois do repique da semana passada, quando saltou para perto de 3,40 reais com a eclosão da crise política, o dólar passou a oscilar numa banda entre 3,25 e 3,30 reais, deixando evidente a cautela do mercado neste momento. O Banco Central realizou mais um leilão de swaps cambiais tradicionais --equivalentes à venda futura de dólares --, colocando toda a oferta de 8 mil contratos para rolagem do vencimento de junho. Desta forma, já rolou 2,8 bilhões de dólares do total de 4,435 bilhões de dólares que vencem no mês que vem. O BC não anunciou leilão de novos swaps para esta sessão, depois de realizá-los nos últimos três dias.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário