Seguidores

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Maria Silvia pede demissão da presidência do BNDES

Maria Silvia pede demissão da presidência do BNDES

sexta-feira, 26 de maio de 2017 17:15 BRT
 


]

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, informou pessoalmente sua renúncia do cargo ao presidente Michel Temer nesta sexta-feira, alegando motivos pessoais. Em breve comunicado à imprensa, o banco afirmou que o diretor Ricardo Ramos, do quadro de carreira do BNDES, vai assumir interinamente a presidência da instituição. "Em princípio, só ela sai e os demais diretores ficam pelo menos até que o presidente (Michel) Temer defina quem será o novo presidente do BNDES", disse uma fonte do banco, que pediu anonimato. No início do mês, descartando rumores de que sofria pressão para deixar a presidência do BNDES, Maria Silvia afirmou que "não faltava" a ela "apoio do presidente Michel Temer". Em nota, Temer afirmou que Maria Silvia "honrou o governo e moralizou um setor estratégico para o país, despolitizando a relação com o setor empresarial e elegendo critérios profissionais e técnicos para a escolha de projetos a serem contemplados com financiamentos oriundos de recursos públicos". A saída da executiva do banco de fomento também ocorreu poucos dias depois de o BNDES ter criado uma comissão interna para avaliar operações com a gigante de alimentos JBS. A comissão foi anunciada por Maria Silvia após a deflagração de operação da Polícia Federal encarregada de investigar fraudes e irregularidades na liberação de 8 bilhões de reais em recursos do BNDES para a JBS antes da executiva assumir a presidência da instituição. Maria Silvia tomou posse como presidente do BNDES em 1º de junho do ano passado e desde então vinha promovendo uma série de revisões nas políticas de concessão de financiamentos do banco. De janeiro a abril, os desembolsos do BNDES acumularam queda de 15 por cento, para 21,4 bilhões de reais. Quando do anúncio do resultado, em meados deste mês, o banco informou que a queda do primeiro quadrimestre "mantém a tendência de desaceleração" no ritmo de redução dos desembolsos. (Por Rodrigo Viga Gaier)

Nenhum comentário:

Postar um comentário