Seguidores

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Acionistas da Vale aprovam pauta da AGE e garantem continuidade da reestruturação

Acionistas da Vale aprovam pauta da AGE e garantem continuidade da reestruturação


Os acionistas da Vale aprovaram por larga maioria os sete itens da pauta da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que deliberou sobre etapas obrigatórias de sua reestruturação societária. Com isso, a operação continua com a abertura de uma janela de 45 dias, até 11 de agosto, para a conversão voluntária de ações preferenciais (PN) em ordinárias (ON), segunda etapa da reestruturação.
O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, acompanhou a votação e classificou o resultado como “ótimo”. De acordo com Schvartsman, que assumiu o comando da mineradora em maio, a aprovação da reestruturação é uma de suas tarefas mais importantes à frente da Vale.
Apesar da resistência de acionistas relevantes como a Capital Group, que detém 20,9% das PNs da Vale, a relação de troca de 0,9342 ação ON por cada PN foi aprovada por 78,14% de ações a favor, em um total de 1.494.435.660 ações.
A Valepar, que reúne os atuais controladores da mineradora, se absteve de votar em todos os itens, com exceção das alterações no estatuto que aproximarão a governança da Vale daquela das companhias listadas no Novo Mercado da B3 (antiga BM&FBovespa). As mudanças estatutárias foram aprovadas por 74,94% das ações participantes da AGE.
Os itens referentes à incorporação da Valepar pela Vale também passaram com quase 80% de aprovação. A holding deverá ser incorporada em agosto, em uma nova assembleia de acionistas. Esse movimento depende do sucesso da conversão voluntária de ações PN em ON. O piso estabelecido para tal é de 54,09% de conversão, porcentual que torna a participação da Valepar na companhia inferior a 50%.
Se tudo correr bem, uma nova Assembleia Geral Extraordinária deverá ocorrer na semana de 21 de agosto, com a votação da incorporação da Valepar pela Vale e a celebração do novo acordo de acionistas. O novo acordo vinculará apenas 20% das ações ordinárias pertencentes aos atuais controladores da mineradora e valerá até novembro de 2020. Ao fim desse prazo a expectativa é que a empresa passe a ter capital pulverizado e migre para o Novo Mercado.
A votação na AGE desta terça-feira, 27, começou por volta das 11h50 e levou em torno de 20 minutos. Representantes de acionistas minoritários pediram a divulgação em separado dos votos de preferencialistas e ordináristas, mas a companhia afirmou que essa informação só seria liberada após a assembleia.
Fonte: IstoÉDinheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário