Seguidores

quinta-feira, 15 de junho de 2017

PALÁDIO O "NOVO" BRANCO


Paládio
O “Novo” Branco


Cynthia Unninayar *


Neste último ano observou-se muita conversa sobre um “novo” metal branco na joalheria – o paládio. Para ser bem precisa, ele não é exatamente “novo”, visto que este raro metal branco foi usado em coleções de jóias nos EUA que datam de mais de meio século. Mesmo assim, com algumas das maiores marcas da indústria adotando-o agora, ele tem se tornado o metal branco escolhido atualmente pelos designers.
A Mina Stillwater, berço dos mais ricos depósitos de paládio do mundo, está a apenas 35 milhas ao norte do Parque Nacional de Yellowstone, no estado de Wyoming e na fronteira sul do estado de Montana, nos EUA. Embora o paládio já seja uma parte integral de muitas aplicações, notadamente eletrônicos, conversores catalíticos, pilhas termelétricas, refinamento de óleo e na odontologia por muitos anos, só muito recentemente o seu uso na indústria joalheira começou a explodir. Frank McAllister, diretor executivo da Companhia de Mineração Stillwater (Stillwater Mining Company) explica: “esperamos que o paládio se transforme num fator significativo de crescimento na indústria joalheira. As pessoas estão cativadas por sua raridade, seu branco exuberante e seu intenso brilho. O paládio é tão raro quanto a platina e é um metal branco e brilhante, cuja densidade é perfeita para a joalharia”.
O paládio é um dos metais do grupo da platina (PGM – Platinum Group Metal). Foi identificado em 1803 por William Hyde Wollastone, que assim o chamou inspirado em Palas, companheiro de Atenas, a Deusa Grega da Arte
Possibilidades do paládio
McAllister não é o único entusiasta do uso deste metal na joalharia. Scott Kay, um dos lideres influentes na indústria e fundador de uma das marcas mais solicitadas pelas noivas nos EUA, fez toda sua linha de alta joalharia disponível em paládio, incluindo jóias nupciais (scottkay.com). “O paládio vai mudar a indústria joalheira que conhecemos agora. É um metal precioso, naturalmente branco, com propriedades tais que faz dele uma escolha natural para a joalharia”, ele explica. Quando perguntado se ele está abandonando sua famosa platina, Kay responde: “se as pessoas acham que eu estou pulando fora do barco da platina, estão enganados. Ela sempre será o meu primeiro amor, mas o paládio está marcando presença. Ele não é uma “platina de pobre”. O paládio fornece um fundo impressionante para os diamantes e outras pedras preciosas. É o sonho do joalheiro, a oportunidade do consumidor e um tesouro escondido, natural e puro”.

O paládio já era usado na alta joalharia há mais de 60 anos,
como mostrado nas capas de um catálogo de 1940
(imagens por cortesia de Amber and Elichai Fowler)

Tom McLaughlin, designer, joalheiro e co-proprietário da Lennon's Jewelers of Clay, em Nova York, concorda. Após ter usado o paládio, ele “apaixonou-se pelo metal”, assim como os seus clientes. Ele acrescenta: “através do meu desenho e fabricação personalizados, achei o paládio um metal extremamente fácil de trabalhar, com muitas vantagens, incluindo o custo. É naturalmente branco, hipoalergênico, muito maleável e responde bem ao polimento. Tensão nas garras e quebra são virtualmente eliminados, também.” McLaughlin acredita que o futuro do metal é brilhante e que “ocupará seu próprio lugar na indústria”.  
Anel em paládio, diamante azul e turmalina azul - by Tom McLaughlin
(Foto: Mark B. Mann, Mann Design Group, Inc.).
A designer, joalheira e varejista Brenda Warburton, co-proprietária da Ann Arbor e da Austin & Warburton (austinandwarburton.com) relata que “a aceitação do cliente pelas nossas peças em paládio tem sido maravilhosa. Quando apresentado como um metal branco diferente e não como um substituto pobre da platina, o consumidor consegue apreciar o paládio pelos seus próprios atributos, incluindo sua melhor habilidade de reter polimento. Embora nunca vá substituir a platina, ele agora é parte do arsenal de metais para o mercado nupcial atual.” 

Bracelete em paládio, safira e diamante - by Brenda Warburton
(Foto: Mark B. Mann, Mann Design Group, Inc.).

Nenhum comentário:

Postar um comentário