Seguidores

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Prefeitura de Brumadinho anuncia rompimento de represa no município

Prefeitura de Brumadinho anuncia rompimento de represa no município


A Prefeitura de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, emitiu nota na tarde desta quarta-feira informando que a encosta de uma represa – em terreno localizado ao lado da empresa de mineração Tejucana – desabou, derramando lama na bacia do Córrego do Barro, na região do Tejuco. A nota foi publicada após circulação de mensagens em redes sociais anunciando o que seria o estouro de uma barragem de rejeitos de minério.
O texto oficial informa que o proprietário fazia a manutenção da represa e durante o serviço aconteceu o rompimento. “O fato de a lagoa estar muito assoreada e ter muitos efluentes fez com que o barro se espalhasse”. A nota, divulgada pela Defesa Civil Municipal, não esclarece que tipo de efluente havia no reservatório, tampouco em que dia ocorreu o acidente.
Segundo o texto, foi realizada pela Secretaria de Meio Ambiente avaliação e medição das águas do córrego e o proprietário do terreno foi notificado. Foram exigidas dele medidas de contenção imediatas para drenagem e remoção dos materiais que possam ser retirados sem maiores danos.  O prazo dado pela secretaria para as providências foi de 15 dias, considerando o período de seis a sete dias necessário para a secagem do barro e posterior retirada do material. Também ficou definida a extinção da lagoa. Confira a íntegra do texto divulgado pelo município:
Nota da Prefeitura de Brumadinho 

“A Prefeitura de Brumadinho vem a público esclarecer a respeito das especulações sobre o rompimento de barragem divulgado nas redes sociais. Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável que estiveram no local confirmaram o rompimento de uma lagoa em terreno particular, vizinho da empresa Tejucana, na região do Tejuco.
O proprietário realizava a manutenção da mesma e durante o serviço aconteceu o rompimento. O fato de a lagoa estar muito assoreada e ter muitos efluentes fez com que o barro se espalhasse. Após avaliação e medição, o proprietário foi notificado, sendo exigidas medidas de contenção que começam hoje, 28/06, entre elas drenagem e remoção dos materiais que possam ser retirados sem maiores danos.
O prazo total para atendimento da notificação é de 15 dias, levando-se em consideração o prazo de 6 a 7 dias necessário para a secagem do barro e posterior retirada do local. Também ficou definida a extinção da lagoa. De acordo com os técnicos, apesar de o Córrego do Barro ser um dos efluentes (sic), o resíduo da lagoa não atingiu o leito principal do córrego, restringindo o impacto ambiental apenas ao local.
A prefeitura ainda informa que tem trabalhado preventivamente pela manutenção da qualidade de vida do município e reforça sobre o importante papel da população para o desenvolvimento da nossa cidade.”
(RG)
Fonte: EM

Nenhum comentário:

Postar um comentário