Seguidores

domingo, 9 de julho de 2017

A extração de pedras preciosas e ornamentais no interior do estado do Piauí em ritmo acelerado

A extração de pedras preciosas e ornamentais no interior do estado do Piauí em ritmo acelerado e o município de Pedro II continua sendo a menina dos olhos dos mineradores. Mais de três mil quilates certificados da Opala, pedra mais cobiçada do mercado foram comercializado para o exterior e o número continua a subir, já que a jazida encontrada no município supera os dois milhões de quilates. 

Foto: FM Imperial

Apenas a produção de quartzito está deficitária, pois a indústria sofreu uma queda em função da crise mundial. A região de Pedro II, que abriga a única reserva de opala do Brasil, abriga uma série de cooperativas que trabalham na obtenção da pedra.

Segundo o superintendente do Departamento Nacional de Pesquisa e Mineração no Piauí (DNPM), Evaldo Freitas Lira, a atividade poderia ser potencializada se as cooperativas parassem com a cultura extrativista e tivessem uma maior visão mercadológica. "Muito se perde com o garimpo artesanal. Eles poderiam valorizar mais o produto se mudassem a lógica de extração", afirma o superintendente do DNPM.

Já a cidade de Gilbués está extraindo diamantes a todo vapor.

"Como os maiores compradores da pedra eram os países europeus, houve uma queda substancial de mais de 50% na exportação do mineral. O que é uma pena, pois o mercado nacional não consegue suprir a demanda", aponta o superintendente.

Rayldo Pereira
Com informações de FM Imperial
rayldopereira@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário