Seguidores

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Após descoberta de ametistas, garimpos avançam para área urbana de Sento Sé e preocupam moradores

Após descoberta de ametistas, garimpos avançam para área urbana de Sento Sé e preocupam moradores

Garimpeiros agora estão na esperança de encontrar também pedras semipreciosas na região.




Zona rural de Sento Sé atrai gente com sonho de achar pedras preciosas e mudar de vida
Zona rural de Sento Sé atrai gente com sonho de achar pedras preciosas e mudar de vida
Após a descoberta da jazida de ametistas da cidade de Sento Sé, no norte da Bahia, que atraiu quase oito mil pessoas à cidade, novos garimpos estão sendo abertos na região, alguns deles em áreas urbanas, por pessoas em busca de outros tipos de mineirais. Os garimpeiros agora estão na esperança de encontrar também no local pedras semipreciosas.
Buracos no chão estão sendo abertos na localizadade de Quixaba, onde está localizada a jazida de ametistas, a 54 km do centro de Sento Sé, e também em áreas distantes, a aproximadamente um quilômetro da sede da cidade.
No local mais próxiomo do centro, o garimpo já está sendo chamado de "Garimpo do Sete". Na área, cerca de dez pessoas realizam escavações, utilizando picaretas, para furar o chão, e baldes, para retirar a terra.
Jonatha Pires, de 22 anos, que está desempregado, ouviu de um amigo que a região de Sento Sé poderia esconder também turmalina, um tipo de pedra semipreciosa. "Meu sonho é comprar uma casa, comprar um carro, colocar dinheiro no banco", destaca, durante uma pausa do trabalho de escavação.
O primeiro a chegar no local, no entanto, foi o garimpeiro Silvan Freire. Ele diz que encontrou uma pedra e que, por conta disso, acredita que o local possa ter mais minérios valiosos. "Quando cheguei aqui, essa canga tava de fora e eu comecei a cavar. Vamos investir", diz, cheio de esperanças.
A agricultora Iraildes Moraes, de 51 anos, é outra que tenta ganhar a vida no local, mas diz que a situação não está nada fácil. "Tá difícil, difícil mesmo de viver. E a gente está aqui correndo atrás das pedras preciosas que disseram que tem", conta, também sem conseguir esconder a esperança do rosto.
A região da Quixaba tem cerca de dois mil moradores. Muitos deles já estão preocupados, porque as escavações já se aproximam das residências do povoado. É possível ver buracos sendo cavados a menos de 400 metros de c"Eu acho que não é o certo, porque aqui no nosso lugar estamos em paz. Então, se é que tem alguma coisa que eles acham que tem, que seja para lá, afastado da gente. Não pode prejudicar a população", diz a dona de casa Lindomar Cardoso.
Quem também está preocupado com a situação é o agricultor Márcio Resende. "A gente tem medo da danificação que vai causar em nosso lugar, nas casas, no açude e nossos animais também", comenta.
Dene Farias, que é garimpeira há 15 anos, veio de Brasília para tentar ganhar a vida no local, mas diz que ainda não encontrou nada. "Há muita especulação e ilusão. As pessoas com um sonho de cavar e encotrar alguma coisa em meio metro ou até a um metro embaixo da terra. Mas eu, até agora, já tentei e não consegui. Só tenho passado aqui muita luta e dificuldade", diz.
A gestora ambiental da cooperativa de garimpeiros da região, Liliane Souza, diz que as escavações em áreas urbanas são proibidas e que os garimpeiros serão alertados.
"Não pode haver exploração de minério em área urbana. Por isso, a preocupação da prefeitura, juntamente com os órgãos como a Secretaria Ambiental para verificar se realmente procede a informação de que exista minérios nesse local. Havendo a informação, nós vamos estar instruindo as pessoas que não pode atuar nessa área urbana", destaca.
O Departamento Nacional de Produção Mineral da Bahia (DNPM) disse que funcionários do órgão vão retornar à cidade de Sento Sé, na próxima semana, para regularizar o garimpo na cidade e impedir, inclusive, o uso de dinamites durante as explorações.

Mina de ametista

Descoberta de mina atri centenas de pessoas a Sento Sé. (Foto: Reprodução/ TV São Francisco) Descoberta de mina atri centenas de pessoas a Sento Sé. (Foto: Reprodução/ TV São Francisco)
Descoberta de mina atrai centenas de pessoas a Sento Sé. (Foto: Reprodução/ TV São Francisc
No final de junho, o DNPM informou que após encontrar irregularidades na atuação dos garimpeiros que estão na jazida de ametistas da cidade de Sento Sé, região norte da Bahia, decidiu autuar e interditar parte do local. A mina descoberta no mês de maio tem atraído milhares de pessoas. As pedras são comercalizadas por R$ 500 a R$ 3 mil.
O superintendente do DNPM na Bahia, Raimundo Sobreira, informou que a decisão ocorreu após a segunda visita do órgão à jazida, ocorrida entre os dias 19 e 22 de junho. Caso as irregularidades da extração mineral continuem no local, o DNPM estuda a possibilidade de evacuação da mina.
Sobreira detalhou que o órgão autuou onze buracos, também chamados de cortes, feitos na terra pelos garimpeiros e onde eles entram para colher as ametistas. Segundo ele, no local há entre dois a três mil buracos.
Agentes do departamento visitaram o local pela primeira vez no dia 17 de maio, quando iniciaram o processo de legalização da mina, que ainda não foi concluído, ou seja, a jazida continua ilegal. O estudo da extensão do garimpo continua e os agentes acreditam que os trabalhadores exploram uma área com cerca de 20 hectares.
Outro processo importante para a legalização da mina é que os garimpeiros se cadastrem na cooperativa da cidade que já existe no município desde 2008. A organização já reuniu documentos com dados da cooperativa e de integrantes, para entregar a DNPM. Conforme Sobreira, a entrega da documentação está em andamento e não há previsão de quando a jazida será legalizada.
Sobre a interdição, Sobreira relatou que o objetivo da ação é evitar acidentes e até mesmo mortes. No dia 13 de julho, três garimpeiros se feriram por conta do desmoronamento em um dos buracos. Todos sobreviveram. Apesar da situação, não foi isso que motivou a segunda visita do órgão à mina.
Para aumentar a fiscalização, Raimundo Sobreira informou que o DNPM vai montar uma base em Juazeiro, cidade também no norte do estado.

Descoberta

Ametistas são encontradas em Sento Sé, na Bahia. (Foto: Reprodução/ TV Bahia) Ametistas são encontradas em Sento Sé, na Bahia. (Foto: Reprodução/ TV Bahia)
Ametistas são encontradas em Sento Sé, na Bahia. (Foto: Reprodução/ TV Bahia)
A mina de ametista fica na Serra da Quixaba, a cerca de 54 km do centro de Sento Sé, e não possui infraestrutura, mas isso não tem preocupado garimpeiros de todo o país, que lotaram os hotéis e pousadas do município para tentar achar ametistas no local. O valor do aluguel de imóveis passou de R$ 400 para R$ 1.500, em média.
Desde que a mina foi encontrada, no final do mês de abril, pelo menos oito mil pessoas passaram pela cidade. Para chegar à jazida, é preciso seguir por mais 50 km em uma estrada de terra de difícil acesso, e caminhar por cerca de 3 km até o topo da Serra da Quixada, onde está localizada a jazida.
Por enquanto, no garimpo tudo é improvisado, desde o espaço de mineração às negociações. O preço do quilo varia de R$ 500 a R$ 3 mil reais.
  • Sento Sé
Fonte- G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário