Seguidores

sábado, 29 de julho de 2017

Dívida líquida da Usiminas soma R$ 4,99 bi no trimestre; alta de 10%

Dívida líquida da Usiminas soma R$ 4,99 bi no trimestre; alta de 10%


A dívida líquida da Usiminas no segundo trimestre do ano somou R$ 4,998 bilhões, aumento de 10% ante o observado no mesmo intervalo do ano passado. Na comparação com a dívida no fim de março houve um crescimento de 12%. A dívida bruta, por sua vez, chegou em R$ 6,9 bilhões no fim de junho último, queda de 4% na relação anual e aumento de 1% ante o visto em março deste ano.
O caixa da companhia no segundo trimestre era de R$ 1,951 bilhão, queda de 28% ante o visto um ano antes e recuo de 19% ante o primeiro trimestre deste ano. Para este ano está no cronograma de vencimentos uma amortização de R$ 6 milhões, indo para R$ 588 milhões no ano que vem, quando vencem os bônus emitidos pela companhia. Em 2019 é de R$ 94 milhões, em 2020 de R$ 409 milhões, em 2021 de R$ 751 milhões, em 2022 em R$ 1,082 bilhão, valor que se repete anualmente até 2025.
A alavancagem da Usiminas medida pelo indicador dívida líquida pelo Ebitda foi a 2,8 vezes, ante 3,9 vezes no primeiro trimestre do ano, queda muito explicada pelo melhor Ebitda no período. A Usiminas reportou uma perda financeira de R$ 171,3 milhões no segundo trimestre deste ano, ante um ganho de R$ 114,6 milhões no mesmo período do ano passado. No primeiro trimestre deste ano a perda foi de R$ 54,5 milhões. A maior perda financeira é basicamente explicada pela variação cambial no período.
Investimentos
Os investimentos da Usiminas no segundo trimestre do ano somaram R$ 34 milhões, queda de 32% em relação ao visto um ano antes. Ante o primeiro trimestre do ano, por outro lado, houve um aumento de 46%.
No intervalo de abril a junho os investimentos foram para a manutenção da atividade, sendo 75% na unidade de siderurgia, 14% na mineração, 7% na transformação de aço e 4% em bens de capital.
No primeiro semestre os desembolsos da siderúrgica mineira chegaram em R$ 57 milhões, queda de 53% em relação ao mesmo intervalo do ano anterior.
Ebitda
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Usiminas no segundo trimestre do ano, para R$ 750 milhões, foi beneficiado pelo reconhecimento de R$ 205,1 milhões, recebidos, em julho, pela Mineração Usiminas (MUSA), após acordo firmado com a Porto Sudeste em junho deste ano. Sem esse ganho extraordinário, o Ebitda ajustado seria de R$ 551 milhões, mas mesmo assim acima das expectativas de analistas de mercado.
Com esse número, o Ebitda ainda apresentaria forte crescimento em relação ao de R$ 68 milhões visto um ano antes, mas estaria em linha com o do primeiro trimestre deste ano (+3%).
Fonte: IstoÉDinheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário