Seguidores

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Pó de rocha é alternativa econômica e ambiental para remineralização do solo

Pó de rocha

Pó de rocha é alternativa econômica e ambiental para remineralização do solo

  • Utilização do subproduto das pedreiras pode gerar nova fonte de receita para pequenas empresas mineradoras
Marcelo Matusiak
Pó de rocha é alternativa econômica e ambiental para remineralização do solo
 

Um subproduto das pedreiras, o pó de rocha, está se transformando em opção econômica e de maior interação com o meio ambiente sendo utilizado como fonte para remineralização dos solos em substituição aos fertilizantes tradicionais. Pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UnB) com rochagem, há mais de 20 anos, inclusive virou lei em 2013, qualificando os remiralizadores na categoria dos insumos destinados à agricultura.

O geólogo Ivam Zanette, do Sindicato da Indústria da Mineração de Brita, Areia e Saibro do Rio Grande do Sul - Sindibritas e da Associação Gaúcha dos Produtores de Brita, Areia e Saibro - Agabritas, destaca a importância desta alternativa ao uso do potássio como nutriente para a agricultura, uma vez que o Brasil importa cerca de 90% do produto.

- O uso do pó de rocha como fonte de potássio na agricultura traz benefícios importantes, ajudando a solucionar um problema ambiental, já que as rochas utilizadas para serem moídas são rejeitos de mineração. Além disso, pode fortalecer pequenas mineradoras, na medida que agregaria valor a rejeitos de mineração. Ou seja, rochas descartadas podem virar minério e gerar retorno financeiro para as empresas - ressalta Zanette.

O pó de rocha libera nutrientes de forma lenta e gradual, fazendo com que os efeitos de sua aplicação no solo se reflitam por vários anos; melhora a estrutura física do solo; disponibiliza maior número de nutrientes, propiciando uma vegetação e frutos mais saudáveis; deixa as plantas mais resistentes a doenças, diminuindo o consumo de agrotóxicos.

A pesquisadora da Universidade de Brasília, Suzi Huff Theodoro, lembra que a rochagem também pode ser entendida como uma espécie de "fertilizante inteligente" de baixa dissolução, do qual as plantas se apropriam na medida da necessidade do seu desenvolvimento. Pode-se dizer que este insumo, disponível em quase todo território brasileiro, configura-se como um banco de nutrientes, pois fornece somente a quantidade demandada pelas plantas.

- A rochagem é uma prática que induz a fertilização da terra com a própria terra, viabilizando o equilíbrio de todo o agroecossistema. O pó de rocha tem custos de aquisição muito menores do que o dos insumos importados. Além disso, a produtividade mostra-se equivalente ou superior às obtidas pela fertilização convencional. Em alguns casos, o rendimento pode ser até 30% superior do que o obtido com insumos químicos - destaca a pesquisadora.

Rochas como dacito, rica em potássio; xisto, que potencializa a disponibilidade de nutrientes de outras rochas; e fonolito, fonte alterativa ao cloreto de potássio, podem ser consideradas "amigas" da agricultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário