Seguidores

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Ibovespa fecha em queda de 1,5% pressionado por cena política; JBS desaba mais de 30%

CORREÇÃO-Ibovespa fecha em queda de 1,5% pressionado por cena política; JBS desaba mais de 30%

segunda-feira, 22 de maio de 2017 19:08 BRT


]

Por Flavia Bohone (Corrige dado do fechamento no 2o parágrafo para 61.673 pontos, não 64.673 pontos) SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa caiu nesta segunda-feira, pressionada pelo cenário político local diante das denúncias envolvendo o presidente Michel Temer, após divulgação de gravação com executivo da JBS, cujas ações despencaram mais de 30 por cento. O Ibovespa caiu 1,54 por cento, a 61.673 pontos. O giro financeiro do pregão somou 12,27 bilhões de reais. O andamento do inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) contra Temer por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça segue no radar dos investidores, que buscam mais clareza sobre o futuro político do país. Nesta segunda, a defesa de Temer comunicou ao ministro do STF Edson Fachin que não vê mais necessidade de suspensão do inquérito, com Fachin enviando o caso ao plenário da Corte após perícia na gravação feita pelo empresário Joesley Batista de uma conversa com o presidente. Temer reafirmou que não deixará o cargo, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, embora siga enfrentando pedidos de impeachment e crise em sua base de apoio, o que pode dificultar sua governabilidade caso permaneça no cargo. Diante do cenário político conturbado, a equipe econômica passou o dia buscando garantir a agentes de mercado a manutenção dos trabalhos. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o cronograma da reforma da Previdência deverá sofrer atraso, mas disse acreditar na aprovação da proposta mesmo se o Temer não seguir no comando do país. Já o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, disse que a autoridade monetária continuará monitorando o impacto das notícias da cena política nos mercados financeiros e atuando para mantê-los em plena funcionalidade. DESTAQUES - JBS ON despencou 31,34 por cento, maior perda diária da história do papel e na mínima desde março de 2013, com os papéis entrando em leilão algumas vezes. Com isso, a empresa perdeu cerca de 7,5 bilhões de reais em valor de mercado só neste pregão. Na sexta-feira, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu mais quatro processos para apurar denúncias de irregularidades em negócios no mercados feitas por empresas dos irmãos Joesley e Wesley Batista, incluindo a JBS. - PETROBRAS PN teve baixa de 1,62 por cento e PETROBRAS ON perdeu 0,69 por cento, apesar da alta nos preços do petróleo. - ITAÚ UNIBANCO PN cedeu 1,97 por cento e BRADESCO PN recuou 2,85 por cento. BANCO DO BRASIL ON teve baixa de 4,65 por cento e SANTANDER UNIT perdeu 1,3 por cento. - CYRELA REALTY ON teve queda de 6,23 por cento, após notícia de que a empresa destinará 130 milhões de reais para reconstrução e indenizações de resort em Vitória (ES). - VALE PNA teve alta de 2,76 por cento e VALE ON ganhou 2,46 por cento, em sessão de ganhos para os futuros do minério de ferro na China. - FIBRIA ON subiu 6,99 por cento. Na sexta-feira, analistas do Credit Suisse elevaram a recomendação para os papéis da empresa para "outperform" e o preço-alvo para 40 reais, diante do novo cenário para o câmbio após os últimos acontecimentos políticos no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário