Seguidores

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Bomba Atômica

Bomba Atômica, ou bomba nuclear, é uma arma que consiste num projétil explosivo lançado por aviões ou por mísseis. Ela funciona em decorrência dos processos de fusão e fissão nuclear e tem um alto poder de destruição.
A bomba atômica foi utilizada em duas situações. Os lançamentos aconteceram durante a Segunda Guerra Mundial.

Aspectos Históricos

Receosos com os efeitos do Nazismo, cientistas alemães se deslocaram para os EUA. Albert Einstein também tinha ido para lá quando assumiu uma cadeira no Instituto de Estudos Avançados de Princeton.
Junto com o físico Leo Szilard, Einstein alertou o presidente Franklin Roosevelt sobre a possibilidade de os nazistas desenvolverem uma bomba atômica. Ele acreditava que os Estados Unidos da América (EUA) deveriam se antecipar.
Na sequência, foi dado início ao Projeto Manhattan, responsável pela criação da bomba atômica. O Projeto Manhattan foi dirigido pelo físico estadunidense Julius Robert Oppenheimer e teve como base os estudos de Albert Einstein. Esses estudos foram fundamentais para o desenvolvimento da energia atômica.
Antes de os EUA terem lançado a primeira bomba atômica da história, a arma nuclear foi testada. O teste aconteceu no dia 16 de julho de 1945 no deserto do Novo México (EUA).
Após o episódio conhecido como Bomba de Hiroshima, continuaram a ser desenvolvidas armas nucleares. Existem milhares de armas ainda mais potentes do que as que foram lançadas sobre o Japão na Segunda Guerra Mundial. A maior parte delas pertence aos EUA e à Rússia.
A ONU é responsável por regular a política nuclear mundial.

Segunda Guerra Mundial

Na Segunda Guerra, as principais frentes eram formadas de um lado por Alemanha, Itália e Japão, do outro por Grã-Bretanha, União Soviética e EUA.
O objetivo era que o Japão se rendesse, já que a Alemanha e a Itália já tinham se rendido. A Bomba de Hiroshima foi lançada no dia 6 de agosto de 1945 pelo avião bombardeiro norte-americano que tinha o nome de Enola Gay.
A bomba recebeu o nome de Little Boy e detonou a 580 m de altura da cidade de Hiroshima, no Japão. A cidade foi destruída e cerca de 140 mil pessoas morreram.
Muitas pessoas morreram no momento da explosão, enquanto outras morreram em decorrência das sequelas deixadas pela arma nuclear.
Dias depois, foi lançada a Bomba em Nagasaki, outra cidade japonesa. Chamava-se Fat Man, destruiu grande parte da cidade e provocou a morte de cerca de 70 mil pessoas.
A Fat Man era mais potente do que a Little Boy, apesar de o seu estrago ter sido menor. Isto aconteceu pelo fato de a cidade estar localizada numa região montanhosa.
O Japão rendeu-se no dia 2 de setembro de 1945.
Em 1941 o Japão havia atacado a Pearl Harbor, base naval norte-americana, sem que tivesse sido feita qualquer declaração de guerra aos EUA. Saiba mais sobre esse acontecimento em Pearl Harbor
.

Armas Nucleares Brasileiras

Embora o Brasil tenha capacidade para produzir armas nucleares, o país renegou o direito de ter essas armas de destruição.
Em 1979 tinha sido iniciado um programa secreto chamado Programa Paralelo. Esse programa que pretendia desenvolver armas de destruição maciça somente foi anunciado para os brasileiros na década de 90.
Tratava-se de um projeto que seria capaz de produzir bombas atômicas mais potentes do que as lançadas em Hiroshima e Nagasaki, mas foi desmantelado.

Aspectos Químicos

A bomba lançada na cidade de Hiroshima tinha duas cargas compostas de urânio 235, num total de cerca de 60 kg.
A bomba lançada em Nagasaki era composta de cerca de 6,4 kg de plutônio 239. Esse elemento surge a partir da transformação do urânio 238.
O urânio 235 (235U) e o plutônio 239 (239Pu) são elementos que possuem um potencial energético bastante elevado e, por isso, representam um grande perigo.
As bombas lançadas sobre as cidades japonesas decorreram do processo de fissão. Outro processo que resulta no funcionamento de bombas nucleares é a fusão.
Fissão é quebra do núcleo do átomo. Um nêutron atinge o núcleo do átomo e se parte. Num processo que acontece em alta velocidade, outros nêutrons atingem outros núcleos.
Fusão é junção do núcleo de dois ou mais átomos.
Esses processos liberam uma quantidade elevada e extremamente potente de energia. Esse é o motivo pelo qual ocorre a explosão.
As bombas mais potentes e que têm maior poder de destruição são as que contêm hidrogênio. São conhecidas como bombas H ou bombas de fusão porque é assim que elas funcionam.

Poder de Destruição

Nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, o ar transformou-se numa espécie de bola de fogo que se expandiu de forma veloz.
Essa bola era tão quente quanto a superfície do Sol, em decorrência da grande quantidade de energia térmica que foi liberada. Como consequência, o que estava a 1 km à volta transformou-se em cinzas.
O solo também sofreu um superaquecimento.
Os gases se expandiram provocando uma onda de choque, do que decorreu a queda de 62 mil prédios em Hiroshima. A cidade tinha 90 mil prédios.
Os efeitos causados pela radiação foram queimaduras, problemas respiratórios, perturbações mentais, deformações físicas e câncer em milhares de pessoas.
Aquelas que olharam para a explosão ficaram cegas e houve uma chuva radioativa que contaminou a água e o solo. Durante anos as pessoas sofreram com os efeitos das bombas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário