Seguidores

quinta-feira, 29 de junho de 2017

CPRM libera dados brutos e processados (XYZ) de levantamentos aerogeofísicos

CPRM libera dados brutos e processados (XYZ) de levantamentos aerogeofísicos


O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) lança oficialmente nesta quinta-feira (29/06), em Brasília, o programa de disponibilização gratuita de dados aerogeofísicos com o objetivo de atrair novos investimentos e fomentar o setor mineral brasileiro, durante o encontro de executivos de exploração mineral, promovido pela Agência para o Desenvolvimento Tecnológico da Indústria Mineral Brasileira (Adimb).
“Essa ação, definida como um dos pilares principais pela Diretoria Executiva da empresa para fomentar o setor mineral brasileiro, constitui um programa contínuo e prioritário de disponibilização de dados e informações geocientíficas à sociedade”, destaca Eduardo Ledsham, diretor-presidente da CPRM.
Estão sendo disponibilizados no GeoSGB, Banco de Dados da CPRM, os dados brutos e processados, em formato XYZ, dos levantamentos finalizados pela CPRM até 2016, de 21 projetos aerogeofísicos, da série 1.000 e seus respectivos relatórios técnicos de aquisição.
Desta vez, estão sendo disponibilizados tanto os dados de aerolevantamentos magnetométricos/gamaespectrométricos incluindo os aerolevantamentos da região da Reserva Nacional do Cobre e Associados (RENCA), quanto os aerolevantamentos eletromagnéticos realizados no Nordeste e região de Minas Gerais, além do aerolevantamento gravimétrico/magnetométrico realizado no Carajás, explica o diretor-presidente da CPRM Eduardo Ledsham, destacando ainda que a iniciativa universaliza o acesso aos dados aerogeofísicos existentes no Brasil. “É a reposta da empresa, a uma demanda antiga da comunidade científica e do setor mineral”. Ledsham informa ainda que cerca de 95% do embasamento cristalino do Brasil já esta mapeado com modernos métodos e equipamentos de ponta.
O chefe da Divisão de Sensoriamento Remoto e Geofísica (DISEGE) da CPRM, Luiz Gustavo Rodrigues Pinto, avisa que inicialmente, os downloads dos dados dos projetos aerogeofísicos estarão disponível no GeoSGB durante a semana entre as 18:00h e 07:00h. Luiz Gustavo avalia que o acesso da sociedade a esses dados é um importante passo para o desenvolvimento, tanto da área privada, quanto da área científica do país. Ressalta ainda que do acervo de aerolevantamentos da CPRM, série 1.000, faltam ser disponibilizados apenas dois aerolevantamentos – Rio Madeira-Ituxi e Cachoeira do Curuá, que serão finalizados e disponibilizados ainda este ano.
Os primeiros levantamentos aerogeofísicos executados no Brasil, desde a década de 1950, foram patrocinados por instituições federais do governo brasileiro, tais como Conselho Nacional do Petróleo (CNP), o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e a Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobrás). A atuação da CPRM se iniciou em 1971, quando assumiu o papel de órgão executor de projetos aerogeofísicos sistemáticos (magnetometria e gamaespectrometria), a princípio por meio de convênios com o DNPM que procuravam atender politicas governamentais coordenadas pelo Ministério de Minas e Energia de promover o recobrimento aerogeofísico dos terrenos pré-cambrianos do escudo brasileiro.
Entre 1971 e 2001 foram executados 48 projetos aerogeofísicos em diversas regiões do país, sendo que, a maioria dos projetos aerogeofísicos tiveram características de levantamentos regionais, ou seja, com espaçamento das linhas de voo variando de 2.000 a 1.000 m e altura de voo de 150 m. Nesse período foi recoberta uma área de cerca de 2.413.323 km².
A partir de 2004, iniciou-se uma nova fase nos aerolevantamentos geofísicos, onde todos os projetos de magnetometria e gamaespectrometria foram realizados com espaçamento de 500m entre as linhas de voo, altura de voo de 100 m e direção das linhas de voo N-S. Nesse período, foi recoberta uma área de cerca de 3.726.364 km², o que corresponde a 43,76% do território brasileiro e aproximadamente 95% do embasamento cristalino do Brasil. De 2004 a 2014, o investimento para a aquisição desses aerolevantamentos correspondeu a US$ 188 milhões de dólares.
Os dados aerogeofísicos e geoquímicos da CPRM, além dos mapas geológicos e outras informações relevantes, são disponibilizados no Sistema GeoSGB, acessado através do site da CPRM. Acesse aqui o endereço para acesso as imagens geotiffs e dados XYZ dos projetos http://geowebapp.cprm.gov.br/ViewerWEB/index_aerogeofisica.html .
Confira a lista dos 21 projetos disponíveis para download: 1057, 1061, 1062, 1063, 1078, 1079, 1093, 1094, 1095, 1100, 1105, 1108, 1110, 1112, 1116, 1117, 1121, 1123, 1124, 1125, 1133.
Fonte: Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil – CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400

Nenhum comentário:

Postar um comentário