Seguidores

terça-feira, 6 de junho de 2017

O Mistério do Minério de Ferro

O Mistério do Minério de Ferro


Não é novidade pra ninguém que a China cresceu assombrosamente nos últimos anos. Muito do crescimento se deu por um programa estatal de investimento em infraestrutura que, no início dos anos 2000, foi responsável por um super ciclo de commodities. No ano passado, a China importou 850 milhões de toneladas de minério de ferro, contra 124 milhões em 2004 – em pouco mais de 10 anos, alta de 585 por cento! Não à toa, o preço de minério disparou e, em 2011, atingiu o recorde histórico de 180 dols/ton.
O problema é que a mão invisível do mercado é implacável e a oferta de minério cresceu mais rápido do que a de paletas mexicanas: de 2004 a 2016, a produção anual passou de de pouco mais de 900 milhões de toneladas para cerca de 2 bilhões de toneladas. Quando o crescimento chinês começou a mostrar que perdia força e que o modelo de investimentos em infraestrutura parecia se esgotar, ficou claro que a festa do aço chinês ia acabar e tivemos o crash do mercado de minério – na mínima, chegou a bater menos de 42 dólares por tonelada.
O Mistério do Minério de Ferro
O Mistério do Minério de Ferro
Fontes: Empiricus Research e Bloomberg.
A mão invisível entrou em ação mais uma vez e as minas menos eficientes, muitas delas chinesas, foram fechadas.
O governo chinês, tentando aplacar o estrago, aplicou uma política monetária mais dovish em 2016 (crédito pra todo mundo) e, logo, vieram novos investimentos em infraestrutura – o preço disparou e minério voltou a ser, novamente, o negócio do século.
Curioso que, enquanto o preço subia, a China ia estocando mais e mais minério em seus portos. Quando o mercado se deu conta, o estoque era suficiente para a construção de 13 mil torres Eiffel!
O Mistério do Minério de Ferro
O Mistério do Minério de Ferro
A alegria durou pouco e os preços despencaram novamente – com nova queda, minério é agora negociado próximo a 55 dólares a tonelada, poucos meses depois de ter rompido a marca de 90 dólares em fevereiro.
O Mistério do Minério de Ferro
O Mistério do Minério de Ferro
A pergunta que fica é: o que os chineses pretendem fazer com mais de 135 milhões de toneladas estocadas em seus portos?
Alguém tem algum palpite? Mande para m5mpro@empiricus.com.br.
Amanhã seguimos com o tema.
Não Priemos Cânico
Esperando pelo TSE e sem ajuda lá de fora, Bolsa opera em leve queda. Já o dólar acelerou e flerta com os 3,30 reais.
Nos mercados globais, clima também é de apreensão: terrorismo em Londres pode ter algum impacto sobre as eleições (quinta-feira) no Reino Unido? Theresa May ainda segue à frente nas pesquisas, mas a diferença já não é nada confortável.
Além disso, James Comey, ex-diretor do FBI, vai prestar depoimento no Congresso norte-americano sobre possível interferência da Rússia nas eleições americanas e Draghi pode dar o tom sobre juros e estímulos na Europa depois da reunião do Banco Central Europeu – espera-se que os juros se mantenham baixos por lá por um bom tempo, enquanto a tendência é que o Fed aumente juros na próxima semana, a dúvida é se teremos mais um ou dois aumentos até o fim do ano.
Com commodities pra baixo e feriado na Alemanha, Bolsas mundiais operam no vermelho, recuando das máximas históricas de sexta feira, mas o VIX segue abaixo dos 10 dólares.
Nada de pânico, por enquanto, só uma leve correção e um pouco de risk-off
Fonte: Investing

Nenhum comentário:

Postar um comentário