Seguidores

quinta-feira, 13 de julho de 2017

A formação dos diamantes

Os diamantes são valiosos por sua raridade, pois somente se formam sob condições de calor e pressão intensos, em pro­fundidades de 95 a 150 quilômetros do manto superior. As pedras preciosas são constituídas de carbono, às vezes bem macio, como no grafite. Mas a temperaturas de 1.650 graus e pressões de 50.000 a 100.000 atmosferas (atm), o carbono se comprime e se converte em uma estrutura dura e cristalina.


Os diamantes ocorrem principalmente no kimberlito - ro­cha abundante
 nas minas de Kimberley, na África do Sul-, que se forma em estruturas estreitas, semelhantes a chami­nés, que são empurradas para a superfície com
rapidez pela ação vulcânica e por altas pressões de gás.


Onde os diamantes ocorrem




O gráfico à esquerda mostra as pressões e tempe­raturas que permitem a formação de diaman­tes. Tais condições são encontradas no manto superior
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 



Formação das chaminés

De acordo com uma teoria existente, ()s diamantes se formam em chaminés vulcânicas no manto (1). Um a explosão de gás (2) arrasta rapida­mente o magma de kimberlito con­tendo diamantes para a superfície (3), onde em pouco tempo ele esfria. Muitas toneladas de minério de kim­berlito devem ser processadas para encontrar apenas alguns diamantes.





A chaminé de kimberlito  

Um corte transversal de uma cha­miné de kimberlito na África do Sul (abaixo, à direita) mostra materiais que extravasaram há cerca de 70 milhões de anos, quando a camada atual da superficie estava a mais de 1 quilômetro de profundidade. A base da chaminé pode se estender até o manto superior. Além dos dia­mantes, a matriz de kimberlito con­tém fragmentos de rocha do manto superior que permanecem pratica­mente em seu estado original, sem ser afetados pelo calor. A presença de tais rochas sugere que o kimber­lito irrompeu através das formações rochosas circundantes, arrastando consigo esses fragmentos, em sua impetuosa viagem até a superfície.
                                                         


 






 

Este poço na África do Sul foi uma chaminé de kimberlito explorado até se esgotar, em 1914.
                           










Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário