Seguidores

sábado, 19 de agosto de 2017

Valor do diamante Vs. Valor da alexandrita

Valor do diamante Vs. Valor da alexandrita


Valor do diamante Vs. Valor da alexandrita
Alexandrita é mais rara que o diamante (diamond image by sumos from Fotolia.com)
Diamante e alexandrita são duas das pedras preciosas mais raras na Terra. Um diamante é criado devido a pressão e temperatura extremas aplicadas ao carvão no subterrâneo profundo. A alexandrita, que for nomeada em homenagem ao czar russo Alexander II em abril de 1834 quando foi descoberta em minas de esmeralda na região dos montes Urais, é ainda mais rara devido à combinação incomum de minerais que a forma. Tais minerais incluem titânio, ferro e crômio, que dão à alexandrita a qualidade rara de mudar de cor de acordo com a iluminação, indo do verde ao roxo.

Pedras naturais versus pedras sintéticas

A tecnoliga tornou possível que joalheiros criassem versões sintéticas tanto do diamante quanto da alexandrita, mas o verdadeiro valor está nas pedras naturais. A alexandrita natural é muito rara, e portanto extremamente valiosa. Até 1987, a única fonte de alexandrita estava na Rússia, até novos depósitos serem descobertos no Brasil.
Diamantes são muito mais predominantes, e a Botswana, a Rússia e o Canadá são responsáveis por mais de 18,000,000 quilates cada por ano.

Clareza

A clareza descreve a ausência ou presença de defeitos numa pedra, que são chamadas de inclusões. Inclusões são causadas por vários motivos, como um cristal na pedra, ou linhas que podem ser granuladas ou macias. Diamantes e alexandritas são avaliadas quase na mesma escala. Os diamantes mais caros podem ser denominanos perfeitos. São criados a partir de um mineral, o carbono. Se tiverem inclusões, significa que possuem algum grau de defeitos.
Como gemas coloridas sempre são uma combinação de mais de um elemento, defeitos estarão presentes. Existem escalas para avaliar essas imperfeições e como elas atingirão o valor das pedras. A que mais tiver defeitos ainda é valiosa, principalmente se for uma alexandrita.

Corte

O corte costumava ser o formato da pedra, mas joalheiros hoje avaliam as proporções em geral e como o corte realça o seu brilho. As pedras podem ser cortadas em uma variedade de tamanhos, mas seu valor será maior quanto mais facetas tiverem. O corte é aproximadamente 30% do valor de uma pedra, então o prejuízo de um corte ruim pode acabar saindo caro.
O formato de uma pedra pode ser qualquer coisa desde um corte em forma de quadrado, pêra ou coração, dependendo de sua natureza e das facetas que a pessoa que a cortar estiver tentando exibir com seu trabalho. Quanto mais complexo for o corte de um diamante ou uma alexandrita, mais caro será.

Quilates

Quilate é um termo utilizado para expressar o peso de um diamante, sendo que um quilate equivale a 200 miligramas de peso em si - aproximadamente o mesmo peso de um clip de papel pequeno. Qualquer alexandrita acima de um quilate é extremamente rara e será muito mais valiosa que um diamante do mesmo tamanho.

Cor

Diamantes verdes são raros se comparados à pedras sem cor ou diamantes em outras cores. Eles são comparáveis em termos de beleza, mas não possuem a propriedade da alexandrita de mudar de cor dependendo da iluminação. Diamantes roxos também são caros, embora também não mudem de cor.
A alexandrita é avaliada de acordo com as condições de ambas as suas cores. Ao se discutir sua cor principal em luz natural, o verde, matiz e saturação são analisadas. Esses termos se referem a quão verde ela será, tanto com traços de amarelo ou azul, e quão profunda a coloração da pedra parece ser, de verde quase transparente ao tom mais profundo. A mesma avaliação será utilizada para a sua cor secundária, que pode variar de um cinza lavanda para vermelho ou até mesmo marrom, tendo o roxo como a dor mais desejável. A saturação pode variar do roxo pálido ao violeta profundo.
Fonte: UOL

A importância de se manter otimista

A importância de se manter otimista

     
Eu acredito que o otimismo é uma das forças mais importantes para levar adiante qualquer projeto ou empresa. O brilho nos olhos é fundamental quando vamos buscar capital, para conquistar clientes ou na hora de contratar os melhores funcionários.
O entusiasmo gerado pelo otimismo pode gerar também uma motivação contagiante e capaz de transformar uma ideia numa realidade. O otimista olha o copo pela metade, e convence todos ao seu redor que o copo está meio cheio.

Ser empreendedor e ser otimista são praticamente sinônimos. Porém, ao longo do tempo – e das crises – pode acontecer do pessimismo aparecer. Ser empreendedor é intenso e excitante, mas é também difícil e muitas vezes assustador. Quando tudo parece jogar contra, quando o copo começa a ficar meio vazio, é hora de ligar o alerta amarelo e redobrar o cuidado para não perder o foco positivo.
Eu acredito que o otimismo começa pela liderança, e se propaga por toda equipe através de intensa comunicação. O objetivo é que seja enraizado na cultura da empresa, reverberado por todos, até mesmo por fornecedores e clientes. É o que faz a empresa perseverar nos momentos difíceis e encontrar soluções para os problemas.
Nestes tempos de crise, cultive o otimismo, mantenha a mente positiva.
Ivan Primo Bornes – empreendedor e fundador da rede de rotisserias Pastifício Primo (www.pastificioprimo.com.br) ivan.primo@pastificioprimo.com.br

Impossible Foods: Por que até Bill Gates está investindo em hambúrguer?

Impossible Foods: Por que até Bill Gates está investindo em hambúrguer?

     
Imagine uma cena em que estivesse Bill Gates (co-fundador da Microsoft), Larry Page e Sergey Brin (co-fundadores do Google) em uma lanchonete comendo hambúrguer. Quem representaria a inovação mais disruptiva deste momento? Se perguntasse para eles, haveria a possibilidade de apontarem o hambúrguer já que investiram quase US$ 100 milhões em uma startup que até agora só produz isso. O próprio Google tentou comprar esta fabricante do hambúrguer por um valor entre US$ 200 e 300 milhões, mas o empreendedor declinou. Só o interesse destes bilionários visionários, além de outros como o bilionário chinês Li Ka-shing e do indiano Vinod Khosla, que também investiram na startup Impossible Foods, já seria algo para chamar a atenção de quem lida com empreendedorismo e inovação ao redor do mundo, mesmo que isto pareça que seja apenas um hambúrguer.

Entretanto, estamos vivendo uma era em que há tantas inovações disruptivas que quase ninguém conhece Pat Brown, o fundador da Impossible Foods. Ele é considerado um dos principais cientistas dos Estados Unidos, foi professor de bioquímica na Universidade de Stanford durante 25 anos e neste período inventou o Chip de DNA, que foi vital nas principais descobertas genéticas nos últimos anos. Esta trajetória já tinha trazido fama, reconhecimento e dinheiro. Mas em 2009, aos 55 anos, percebeu que talvez até estivesse feliz e realizado, mas não mais motivado. Decidiu parar todas as suas atividades durante 18 meses durante um período sabático para refletir sobre o que gostaria de fazer no resto da sua vida.
Nas suas pesquisas e reflexões, ficou alarmado com o fato de que um terço de todo o terreno agriculturável na Terra estava sendo utilizado para a criação ou produção de ração para a pecuária. E para piorar, a pecuária tinha muitos impactos negativos ambientais como na utilização de recursos naturais, desmatamentos e aumento do Efeito Estufa. Imaginou que se a pecuária ocupasse um espaço menor, os produtores poderiam se dedicar a outros alimentos, barateando a alimentação e reduzindo drasticamente os resultados criticáveis da produção e consumo de carne.
Ainda com a cabeça de pesquisador, explica, quando retornou do período sabático, organizou um simpósio convidando as principais referências no assunto para discutir o problema, mas entendeu quão utópico era a sua nova motivação e ingênua era sua abordagem. Todos já conheciam o “problema”, conduziam pesquisas sobre o assunto, escreviam papers e até participavam de movimentos que tratavam do problema. Mas ninguém, com a exceção de grupos ecologistas mais ativistas, estavam, de fato, trabalhando para reduzir os danos deixados pela indústria da carne.
Incomodado em não se tornar mais um que estuda, avisa, mas não toma nenhuma atitude prática para eliminar o problema ou reduzir seus efeitos, em 2011, Pat Brown reuniu uma equipe de pesquisadores para produzir carne. Mas com um detalhe, esta carne seria obtida a partir de plantas que, cientificamente comprovada, deveria ter um menor impacto do que a produção de carne e deveria ser não apenas exatamente igual em todos os seus aspectos para o consumidor final, porém melhor. A startup que fundou, a Impossible Foods em Redwood City, no Vale do Silício, começou pelo hambúrguer: “Nossa missão não é produzir um hambúrguer decente. É fazer o melhor hambúrguer que o mundo jamais viu.” – explica Brown.
Quem olha e consome o hambúrguer fica impressionado pelo sabor e mais deslumbrado ainda quando sabe que aquilo ali não veio de um boi e é muito mais saudável. A equipe de pesquisadores da Impossible Foods conseguiu uma combinação de ingredientes vegetais e uma fórmula que atinge todas as mesmas características do hambúrguer, inclusive a gordura e o sangue, que todos sabem (mas não se lembram) que estão presentes, inclusive mesmo depois de ser grelhado.
Com esta motivação, apesar de ser vegetariano assim como a sua inovação, Brown visa atender qualquer pessoa que goste, mesmo que pareça paradoxal, de uma boa carne.
Mesmo já tendo captado mais de US$ 270 milhões dos principais investidores dos Estados Unidos e China (os dois maiores consumidores de carne do mundo) e mirando um mercado que movimenta cerca de US$ 1 trilhão anualmente, o jovem empreendedor Pat Brown, agora com 63 anos, está mais motivado do que nunca esteve ao tentar oferecer uma alimentação mais saudável e sustentável.

Fonte: Estadão

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

13 Coisas Que Você Deve Parar De Fazer Para Não Ter Uma Aposentadoria Miserável

13 Coisas Que Você Deve Parar De Fazer Para Não Ter Uma Aposentadoria Miserável

13 Coisas Que Você Deve Parar De Fazer Para Não Ter Uma Aposentadoria Miserável
Ter uma aposentadoria digna é desejo de inúmeros brasileiros. Mas fique atento: enquanto uns não fazem nada para poder se aposentar bem, outros fazem as coisas erradas!
Esse problema passa por duas causas: a primeira é a falta de educação financeira das pessoas; a segunda, e mais grave, passa por muita desinformação promovida por determinados grupos de interesse, que não só propagandeiam coisas que não ajudam você, mas também escondem de todos o que vai melhorar a sua vida financeira!
Como a missão do GuiaInvest é difundir a educação financeira para o máximo de pessoas possível, elaboramos uma lista com as 13 coisas que você deve parar de fazer para não ter uma aposentadoria miserável.
Alguns desses hábitos você pode parar de fazer imediatamente.

1 – Não poupar dinheiro

warren-buffet-brasileiro-5
Pode parecer óbvio, mas não há como ter uma aposentadoria confortável se você gastar mais do que você ganha. Ou você vai queimar o seu patrimônio, ou vai se endividar. E nenhuma dessas coisas vai ajudar você. É normal que muitas pessoas vivam com um orçamento apertado, mas em muitos casos o descontrole financeiro é decorrente da falta de organização e planejamento.
E não esqueça de uma regra: poupar é necessário, mas não o suficiente! A Liberdade Financeira é uma aliança entre o hábito de poupar e de fazer bons investimentos com frequência.

2 – Não buscar educação financeira

Pense comigo: se todos tivessem uma boa educação financeira, talvez eu nem estivesse tendo que escrever esse artigo.
Não temos educação financeira nas escolas e nossos pais também não nos ensinaram, na maioria dos casos. Educação financeira é uma disciplina essencial à vida de cada um, e quanto mais cedo começarmos, melhor.
Se você tiver filhos, incentive ele a ter uma boa relação com o dinheiro.

3 – Depender apenas do INSS

Esse assunto é muito polêmico e inclusive é motivo para discussões mais acaloradas.
Uns dizem que a Previdência está quebrada. Outros apontam que o sistema previdenciário está com as contas em dia se considerados todos os impostos recolhidos que são destinados a Previdência Social. Mas para a sua vida financeira esse debate pouco importa.
Independente da sua opinião sobre o assunto, esteja você certo, esteja você errado, você não pode confiar o seu futuro em coisas que você não tem o controle.
Se você ainda é jovem, muitas reformas podem ocorrer na previdência até você poder se aposentar, então, ainda que você contribua para o INSS, o ideal é ver isso como uma renda extra, não como a sua principal fonte de renda na aposentadoria.
Se tudo der errado, você estará preparado.

4 – Fazer uma Previdência Privada de banco (A Grande Armadilha da Aposentadoria)

Muita atenção no que você vai ler agora!
Com medo dos ajustes na Previdência Social, qual a primeira coisa que vem a cabeça de muita gente?
Bom, se não posso contar com a previdência pública, vou fazer uma previdência privada!
Esse é o MAIOR ERRO que você pode cometer! Os planos de Previdência Privada (PGBL e VGBL) possuem inúmeros custos embutidos, mordem grande parte do seu patrimônio com taxas de carregamento (taxa sobre os aportes mensais), além de engessar o seu dinheiro.
E o pior de tudo, quando você se dá conta que fez um péssimo investimento, existe um alto custo de saída…
Os números não me deixam mentir: um estudo recente mostrou que somente 3 dos 78 planos de previdência dos maiores bancos privados e seguradoras do país tiveram rendimento acima da poupança!
Nenhum desses planos superou o rendimento do Tesouro Selic, o título público mais seguro de todos.
Esse é o custo da falta de educação financeira. Quanto mais perdemos, mais o sistema ganha.

5 – Comprar Títulos de Capitalização

Aposentadoria: não invista mal
Esse produto é o favorito dos gerentes do banco. Eles convidam você a ficar durante 3 anos aplicando uma certa quantidade de dinheiro nesses títulos, com o direito de concorrer a um sorteio todo final de semana. Nesse sorteio, você concorrerá a ganhar algumas  dezenas de milhares de reais… como muita gente é gananciosa, acaba caindo nessa conversa.
Se no meio do caminho você resolver resgatar o valor aplicado nos títulos, você perde parte do dinheiro. Se esperar até o vencimento do título, vai ganhar menos do que a inflação, o que é a mesma coisa que perder dinheiro.
A “vantagem” desse produto acaba sendo esse tal de sorteio. Mas a sua Liberdade Financeira não pode depender da sorte!
Ah, até hoje não conheço ninguém que foi sorteado…

6 – “Investir” na Poupança

A Caderneta de Poupança é um bom lugar para deixar o dinheiro que você precisará dentro de um período de 30 dias, no máximo.
Nunca use a poupança como se fosse um investimento.
Em determinados casos a poupança pode ter rendimento inferior à inflação.
E isso significa perder dinheiro.

7 – Investir em Fundos (de renda fixa, multimercado, ou de ações)

Existem inúmeros fundos de investimento sendo ofertados pelas corretoras e bancos.
Não podemos ser injustos: até existem alguns fundos com bom desempenho. Mas no geral, não vale o investimento.
Por exemplo, um fundo que rende 110% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário: é taxa de juro básica diária que os bancos emprestam dinheiro entre si)  e possui taxa de administração anual é um investimento menos rentável que o Tesouro Selic, por exemplo, que rende 100% do CDI.
O primeiro motivo é a taxa de administração anual, que incide sobre todo montante aplicado. O segundo é o modelo de tributação dos fundos de investimento, chamado de “come-cotas”, em que você paga o Imposto de Renda sobre o seu lucro a cada 6 meses, o que acaba por tirar poder dos juros compostos sobre a sua aplicação.
Então fique atento, por mais que alguns fundos tenham taxas de retorno atrativas, há dois fatores que devem ser levados em consideração: o modelo de tributação de come-cotas e as taxas de administração!

8 – Seguir dicas de Terceiros

Pare de seguir dicas de terceiros se não quiser ter uma aposentadoria miserável
Se você quiser ter uma aposentadoria confortável, não pode seguir dicas de terceiros.
Entenda-se por terceiros aquelas pessoas que possuem conflito de interesses com você, como o gerente do banco e o assessor da corretora, que muitas vezes pode estimular você a ficar girando o seu patrimônio.
Outro tipo de pessoa que você deve tomar cuidado são os apostadores de bolsa. Nunca confie em alguém que acha que tal ação vai disparar. Primeiro, você deve ter visão de longo prazo, então para quem pensa assim nada muda se uma ação dispara. Segundo, você deve ter senso crítico sobre os seus investimentos e basear ele em fundamentos, de acordo com as suas necessidades.
Cuide com as dicas que você recebe do seu vizinho, seu cunhado, seu colega de trabalho. Certifique-se de que você está falando com alguém que leva os investimentos a sério.
Vou repetir uma frase que gosto muito: ninguém vai cuidar do seu dinheiro melhor do que você! Então fique atento a isso se quiser ter uma aposentadoria confortável.

9 – Especular no Mercado de Ações

Especular no mercado de ações é ficar vidrado nos preços das ações, esperando a “baixa” para comprar e a “alta” para vender, independente do que esteja se comprando. É como comprar lixo barato e tentar vender caro.
Não recomendo que faça isso com o seu dinheiro.
Quem investe dessa forma acaba sendo levado por emoções, fazendo exatamente o contrário do que se propuseram, ou seja, compram na alta ao verem o preço de uma ação subindo e vendem na baixa, pois se apavoram com o preço caindo.
Esse tipo de mentalidade traumatiza muita gente, pois costuma dar muito errado.

10 – Investir somente em Renda Fixa

Renda Fixa vs. Renda Variável com Reinvestimento de Dividendos - Melhor Aposentadoria
Esse é um tópico polêmico.
Não há nada de errado em investir na renda fixa, mas investir somente nela certamente irá retardar a sua Liberdade Financeira, já que o potencial de ganhos é menor.
O medo de investir em ações é fruto da cultura especuladora da maioria das pessoas que entram na Bolsa. E agindo como a maioria, você vai ter os mesmo resultados da maioria. Logo, a solução para esse problema é investir da maneira correta, como os investidores bem-sucedidos fazem.
Fora isso, quando você investe na renda fixa, você não está investindo no circuito produtivo do país, está apenas emprestando dinheiro em troca de juros, o que é uma espécie de agiotagem.

11 – Não ter um planejamento financeiro

Como diz o ditado,
um objetivo sem um plano é apenas um desejo.
Um recente estudo sobre finanças pessoais mostrou que 87,4% das pessoas que fazem planejamentos financeiros de longo prazo, se dizem viver em uma situação financeira boa ou excelente. No entanto, das pessoas que não fazem esse planejamento, apenas 18,9% diz estar com a situação financeira boa ou excelente.
Dito isso, você deve concordar comigo que elaborar um planejamento para a sua Liberdade Financeira vai aumentar muito as chances de você ter uma situação financeira boa ou excelente, certo?
Uma vida financeiramente bem-sucedida começa por um planejamento vencedor.

12 – Ser ganancioso na Bolsa de Valores

Às vezes erramos nas nossas decisões de investimento, mesmo utilizando o método correto. E está tudo bem.
Se você souber investir em ações do jeito certo, você vai ganhar na grande maioria das vezes.
O problema é que algumas pessoas começam a acreditar que possuem “feeling” para a bolsa de valores, e acabam insistindo em investimentos que não são mais tão bons como foram em outro momento.
O investidor de sucesso investe de forma simples e reconhece seus erros rapidamente. Dessa forma, ele sabe a hora de sair de um investimento que se tornou ruim sem ter de incorrer em prejuízos.

13 – Não ter uma reserva de emergência

viver de renda passiva
Imprevistos acontecem. Fazem parte do nosso dia a dia.
E alguns imprevistos podem custar caro!
Por isso, é sempre interessante possuir uma reserva de emergência. É um dinheiro que fica guardado somente para essa finalidade. O ideal é que esse dinheiro esteja em um investimento de liquidez imediata, isto é, que você possa resgatar assim que precisar.
Obviamente, como você não sabe quando terá de resgatar, não é recomendável que a sua reserva de emergência esteja em ações, para não ser obrigado a resgatar um bom investimento em um eventual momento de baixa do mercado. Para finalidade de reserva de emergência, tanto o Tesouro Direto quanto um CDB do banco que tenha uma taxa mais atrativa podem ser um bom negócio.

RECAPITULANDO…

Nesse artigo você descobriu as 13 coisas que você deve parar de fazer para não ter uma aposentadoria miserável.
Acredite: se você não possui nenhum desses hábitos, você está no caminho certo para alcançar a sua Liberdade Financeira e talvez até possa adiantar alguns anos a sua aposentadoria!
Vamos recapitular então o que você NÃO deve fazer:
  1. Não poupar dinheiro
  2. Não buscar educação financeira
  3. Depender apenas do INSS
  4. Fazer uma Previdência Privada de Banco
  5. Comprar Títulos de Capitalização
  6. “Investir” na Poupança
  7. Investir em Fundos (de Renda Fixa, Multimercado ou de Ações)
  8. Seguir Dicas de Terceiros
  9. Especular no Mercado de Ações
  10. Investir somente em Renda Fixa
  11. Não ter um planejamento financeiro
  12. Ser ganancioso na Bolsa de Valores
  13. Não ter um Reserva de Emergência
  14. Fonte:  : Guiainvest

Ibovespa fecha em alta de 1,09% amparado em ganhos da Petrobras

Ibovespa fecha em alta de 1,09% amparado em ganhos da Petrobras

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista fechou esta sexta-feira em alta, com destaque para Petrobras, após medidas que garantem benefícios tributários para o setor petrolífero.
O Ibovespa fechou em alta de 1,09 por cento, a 68.714 pontos. Na semana, o índice acumulou ganho de 2,01 por cento. O giro financeiro do pregão somou 9,1 bilhões de reais.
No front local, as atenções seguem para as negociações do Executivo com Congresso Nacional para avançar a agenda de reformas, com a expectativa de que a votação da proposta da Taxa de Longo Prazo (TLP) para empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em comissão aconteça na próxima semana.
No cenário externo, a cautela seguiu no radar, diante de preocupações com a capacidade do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em avançar sua agenda econômica e também após um ataque em Barcelona. Os índices de Wall Street fecharam em baixa de 0,1 a 0,35 por cento.
"O mercado está bem cético em relação a ele (Trump) e a gente pode ter um pouco mais de volatilidade", disse o analista da Um Investimentos Aldo Moniz.
DESTAQUES - PETROBRAS PN avançou 4,2 por cento e PETROBRAS ON teve alta de 3,24 por cento, após medidas fiscais positivas para o setor petrolífero, incluindo a renovação do Repetro, regime especial de exportação e importação de bens para pesquisa e produção. Os papéis também ganharam respaldo das altas dos preços do petróleo no mercado internacional. No fim do dia, a Reuters publicou que o Citigroup e outros sete bancos devem coordenar a oferta inicial de ações da BR Distribuidora, que deve ocorrer em novembro.
- USIMINAS PNA ganhou 1,01 por cento, após o Valor Econômico publicar que a empresa vai aumentar os preços de toda sua linha de produtos em 13 por cento a partir de setembro.
- VALE ON avançou 1,12 por cento, na esteira dos preços do minério de ferro na China, com o contrato futuro mais negociado disparando 6,6 por cento nesta sessão.
- BB SEGURIDADE subiu 4,27 por cento, retomando a trajetória de recuperação iniciada na semana passada e interrompida na véspera.
- KROTON ON caiu 1,69 por cento, entre as maiores perdas do Ibovespa, em movimento de ajuste após acumular alta de 21,64 por cento em nove pregões.
- B2W ON disparou 11,3 por cento, após o UBS melhorar a recomendação para as ações da empresa para "neutra", ante "venda", e elevar o preço-alvo doa papéis.

Fonte:  Reuters

Turmalina paraíba é uma das pedras preciosas mais caras do planeta

Turmalina paraíba é uma das pedras preciosas mais caras do planeta
Embora haja turmalinas em outras regiões do Brasil e do mundo, apenas as gemas do distrito de São José da Batalha (PB) conseguem alcançar teores de cobre acima de 2%
A turmalina paraíba é uma das pedras preciosas mais caras do planeta. Em razão de suas características particulares, de seu azul incandescentemaior dessas pedras já encontrada, a Ethereal Carolina Divine Paraíba, tem 191,87 quilates e é de propriedade do filantropo canadense Vicente Boucher. A pedra foi avaliada em até U$ 125 milhões.
a gema paraibana exerce fascínio em todo o mundo, sendo utilizada nas joias confeccionadas por grifes nacionais (Amsterdan Sauer e H Stern) e internacionais (Dior e Tiffany & Co UK). Estima-se que um quilate (0,2 grama) da pedra custa em média U$ 30 mil e pode chegar a custar até U$ 100 mil, dependendo das características da gema. A
As turmalinas são um minério comum encontrado em várias localidades. Entretanto, a autêntica turmalina paraíba possui traços de cobre, manganês e ouro em percentuais únicos, o que proporciona um efeito de fluorescência que não se encontra em nenhuma outra gema. Embora haja turmalinas em outras regiões do Brasil e do mundo, apenas as turmalinas do distrito de São José da Batalha (PB), conseguem alcançar teores de cobre acima de 2%. No Rio Grande do Norte e África, onde se exploram também turmalinas, os teores de cobre não chegam a 0.80%.
A pedra foi batizada de turmalina paraíba por ter sido encontrada pela primeira vez em São José da Batalha, distrito do Município de Salgadinho, na região do Cariri, interior da Paraíba, a 244 km da capital. Segundo relatos da imprensa, a primeira turmalina paraíba foi descoberta em 1982 por Heitor Dimas Barbosa, dono da Mina da Batalha. Na época da descoberta, Heitor Barbosa foi citado em revistas estrangeiras como o homem que descobriu a raríssima turmalina paraíba. A qualidade excepcional da pedra foi comprovada pelo Gemological Institut of America (GIA) nos Estados Unidos.
Descoberta de U$ 1 bilhão – Os diálogos interceptados durante a Operação Sete Chaves revelam a descoberta de nova reserva de turmalinas Paraíba, negócio “muito bom”, segundo os investigados. Eles comentam que lucrarão cerca de “um bilhão de dólares” com o negócio e que estarão “bem de vida até a sexta geração da família de todos eles”.
Diálogo interceptado, em abril de 2014, revela a visita de especialistas do Gems Institute of America à mina em São José da Batalha. No trecho, um dos investigados comenta que na semana anterior havia extraído pedras de qualidade e que a visita dos americanos foi encomendada por Sebastião Lourenço e Azizi, com o objetivo de analisar a qualidade da extração das turmalinas paraíba.
Entre os dias 31 de março de 2014 e 17 de abril do mesmo ano, uma expedição do GIA visitou minas brasileiras nos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Paraíba. A expedição tinha o objetivo de “reunir informações e documentar o estado atual das minas de pedras coloridas, particularmente esmeralda e turmalina”.
Pobreza contrastante - O brilho, o luxo e o valor exorbitante da turmalina paraíba contrastam com a vida precária dos habitantes do distrito de São José da Batalha, berço da pedra preciosa. Como a extração é irregular, os exploradores não recolhem tributos pela utilização econômica dos recursos minerais localizados nas minas da região.
Paralelamente aos lucros exorbitantes, obtidos com a extração ilegal da gema, a população do pobre município de Salgadinho (PB) convive sem qualquer contrapartida da riqueza que é usurpada de seu solo.
Segundo dados do aplicativo Identificação de Localidades e Famílias em Situação de Vulnerabilidade (IDV), do Programa Brasil Sem Miséria, do Governo Federal, 65,7% dos domicílios de Salgadinho estão localizados na zona rural. Dos 3.508 habitantes do município (Censo IBGE 2010), 815 são pessoas, de 15 anos ou mais de idade, que não sabem ler e escrever.
Dos domicílios particulares permanentes, 63% têm saneamento inadequado e outros 22,2% possuem saneamento semi-adequado. Ainda segundo o IDV, 26,3% das pessoas residentes em domicílios particulares permanentes possuem renda de até 70 reais, e 42,6% dos habitantes permanentes de Salgadinho possuem renda de até 1/4 do salário mínimo.
“As pedras que são exibidas em eventos luxuosos por celebridades e magnatas internacionais, e que são alugadas por atrizes de Hollywood para desfilarem no tapete vermelho do Oscar, deveriam também proporcionar aos habitantes de São José da Batalha e Salgadinho o progresso social, possibilitando melhores condições de vida, direitos fundamentais básicos para o desenvolvimento do ser humano, como proclamado pela Constituição Federal e pelos tratados internacionais”, propõe o procurador da República João Raphael Lima.
OP7Chaves-Facebook

O incrível poder da gentileza

O incrível poder da gentileza




Kind man helping a senior with groceries
Atitudes cotidianas de carinho, respeito e atenção fazem muita diferença. As pessoas gentis são admiradas por todos. Imagine como a vida seria mais fácil se os pequenos transtornos cotidianos fossem contornados com gentileza? Mas a gentileza não só nos aproxima dos outros, como nos ajuda a sermos mais felizes e saudáveis.
A gentileza é tão poderosa que algumas teorias até a relacionam com o desenvolvimento das sociedades: “Os altruístas cooperam e contribuem para o bem estar dos outros integrantes da comunidade”, diz o professor Sam Bowles do Instituto Santa Fé nos Estados Unidos. Assim, a disposição para ajudar o próximo teria contribuído até mesmo com o desenvolvimento da humanidade.
Além disso, outras pesquisas apontam que as pequenas atitudes aumentam os níveis de satisfação pessoais, ou seja, a felicidade de forma geral. Não fazendo muita diferença se o bom ato é dedicado a uma pessoa próxima ou a um desconhecido.
Outros estudos constataram que as pessoas que ajudam regularmente os outros têm menos probabilidade de desenvolver doenças crônicas e seu sistema imunológico tende a ser mais resistente: “Existe uma relação direta entre bem-estar, felicidade e saúde nas pessoas gentis”, diz o professor e autor Stephen Post. A gentileza nos faz reagir com mais empatia aos erros dos outros e, assim, lidarmos com os contratempos com mais calma e tolerância, diminuindo os níveis de estresse. Assim, a paz interior causada pela solidariedade leva à mais saúde.
Ser gentil é reconhecer no desconhecido um outro semelhante a si mesmo, que talvez também esteja enfrentando suas próprias lutas particulares e precise de ajuda. Quem nunca passou pela situação de estar enfrentando um dia ruim e se sentiu mais animado depois de um elogio gentil inesperado, por exemplo?
A gentileza é, portanto, apenas uma questão de opção: é uma atitude que adotamos e que pode fazer pequena mudança positiva na vida dos outros e ser também uma grande diferença na nossa.

Fonte: Seleções

O que é eletricidade?

O que é eletricidade?


O que é eletricidade?
 


O que é eletricidade?
Eletricidade é o movimento dos elétrons em excesso: eles podem fluir como corrente nos fios ou líquidos condutores, fazendo as lâmpadas acenderem e os motores funcionarem; ou podem ficar acumulados como eletricidade estática. Quando a carga é grande o suficiente, ela “pula”, como no choque da maçaneta da porta ou no raio durante uma tempestade.
Quais são a força e a velocidade da eletricidade?
A energia elétrica flui com a velocidade da luz, ou seja, quase 300.000 km/s. A lâmpada necessita de um pouco mais de tempo ao ser ligada, pois a corrente primeiro precisa incandescer seu filamento. A tensão elétrica que sai da tomada tem 110 V ou 220 V, uma fagulha estática pode ter uma potência de até 3.000 V, um raio chega a 3 milhões de volts.
Por que existem corrente contínua e corrente alternada?
As baterias inventadas em 1776 enviam os elétrons em apenas uma direção e produzem corrente contínua. Apenas em 1831 surgiu a teoria a partir da qual a rotação de um eixo em um campo magnético também põe elétrons em movimento. O fluxo da corrente muda a cada meia-volta sua direção, originando a corrente alternada.
Por que a corrente que sai da tomada é a alternada?
Quando Thomas Edison construiu em 1881 a primeira usina elétrica, ele fornecia corrente contínua a seus clientes. Mas a procura era muito grande, o que exigia que os cabos fossem sempre mais grossos. Também em termos de transporte para distâncias muito grandes a corrente contínua mostrou-se mais adequada. Em 1893, seu concorrente, Westinghouse, conquistou o mercado norte-americano e o mundial com novos geradores de corrente alternada.
Por que existem tomadas largas e estreitas?
Cada tomada, em qualquer lugar do mundo, tem pelo menos dois pólos – seja de corrente contínua ou alternada. Os dois fios formam o circuito elétrico, que é fechado ao se ligar a lâmpada, a torradeira ou o computador. Para isso, basta uma tomada simples. A tomada larga tem sempre um terceiro pólo, que serve como proteção e desvia a tensão da corrente em aparelhos defeituosos com segurança para a terra.
Quais as fontes de energia mais potentes?
Na transformação em energia elétrica, a eficiência energética mede quanto da energia química, mecânica ou térmica inserida é utilizável, de acordo com o processo e a máquina. Típicos valores de eficiência energética são: hidrelétrica, 80-90%; aerogerador, até 85%; usina de gás natural, 55-60%; usina de carvão, 25-45%; reator nuclear de água leve, 33%; célula combustível, 20-70%; célula solar, 5-29%.
Pode-se realmente consumir energia?
Não, nem corrente nem energia pode ser consumida. Na corrente alternada, os elétrons oscilam de um lado para o outro na rede. O que realmente flui é a energia elétrica. E ela não é consumida, mas transformada em outras formas de energia: térmica (lâmpada incandescente, torradeira), mecânica (motor) ou química (carga da bateria).
O que se esconde por trás de unidades de medida como ampere e volt?
Volt (V) define a tensão com a qual a usina coloca a corrente à disposição, ou seja, com que os elétrons pressionam o cabo. Uma tensão muito alta pode destruir aparelhos. O ampere (A) é a potência da corrente – quantos elétrons em determinado tempo passam pela rede. Caso seja muito baixa, a lâmpada não acende e o motor não funciona.
Por que o relógio mede quilowatts-hora? (kWh)
A potência da corrente (ampere) e a tensão (volt) são colocadas à disposição pela usina sempre na mesma compatibilidade. O consumidor precisa pagar o trabalho da corrente para ser transformada em outras formas de energia. O quilowatt-hora (kWh) é o produto entre a potência da corrente, a tensão e o tempo.
Por que alguém da Bahia não pode usar seu secador de cabelos no Rio de Janeiro?
As tomadas da Bahia são 220 V, enquanto as cariocas, 110 V. O secador baiano foi feito para tensões mais altas – no Rio de Janeiro ele recebe apenas 1/4 da potência, e funciona mais lentamente. Já um secador carioca na Bahia entra em contato com uma potência 4 vezes maior, e acaba queimando. Os aparelhos que admitem bivoltagem têm uma chave seletora que permite alternar a tensão.
Por que os cabelos arrepiam depois de pentear?
Borracha e plástico atraem elétrons. Durante o ato de pentear-se, os cabelos perdem elétrons e adquirem uma carga positiva (carga eletrostática). Como cargas de mesmo sinal se repelem, os fios de cabelo procuram então manter a maior distância possível uns dos outros, ficando em pé.
Por que a corrente flui na água?
Nos eletrólitos – água e outros líquidos contendo sais diluídos – não são os elétrons, e sim os íons os responsáveis pela condutividade elétrica. Essas moléculas de sais têm falta ou excesso de elétrons e por isso movem-se em direção a pólos elétricos. Só a água destilada é livre de sais.
É possível fazer um computador funcionar com uma bicicleta ergométrica?
Os músculos humanos que produzem corrente a partir de um dínamo têm uma eficiência energética de cerca de 37%. Para cada 1 kWh pedala-se umas dez horas. O computador médio, incluindo-se o monitor, pode consumir até 500 W por hora, ou seja, 0,5 kWh ou cinco horas de pedalada.
Por que as vítimas de raios são atiradas longe?
Quando uma forte corrente passa pelo corpo, os músculos contraem-se e podem repelir com muita força uma pessoa do chão ou da parede. Geralmente, a corrente entra pelos braços e sai pelas pernas, onde localizam-se os maiores músculos, que podem lançar um ser humano pelo ar.
Por que uma descarga elétrica pode matar?
É importante ter uma corrente elétrica fraca dentro do corpo. As células do cérebro e dos músculos trocam sinais com a sua ajuda. Mas uma corrente alternada forte, como a da tomada, passa pelo corpo provocando uma fibrilação ventricular no coração, o que é fatal quando a musculatura dos braços fica retesada e não larga o fio. Além disso, um choque elétrico de alta-tensão ou de um raio queima tecidos do corpo.
Quais foram as primeiras invenções surgidas com a eletricidade?
O primeiro condensador para armazenagem de carga, a garrafa de Leida, foi criada em 1745. Sete anos depois, Benjamin Franklin montava o primeiro pára-raios, e em 1776 Alessandro Volta criava a primeira bateria. Em 1810, Humphry Davy mostrava a primeira lâmpada de arco voltaico simples; em 1820 surgiu o eletromagneto de André-Marie Ampère. Em 1833 Carl Friedrich Gauss e Wilhelm Weber testavam o primeiro telégrafo; Werner von Siemens, em 1866, testava o primeiro dínamo e, por volta de 1870, a primeira lâmpada incandescente foi desenvolvida por Thomas Edison e outros. A primeira célula solar deve datar de 1883.
De onde vêm os termos em torno da corrente elétrica?
A palavra eletricidade é derivada do grego elektron, “âmbar”, substância capaz de armazenar uma carga estática. Da mesma língua originam-se “energia”, de érgon, “fazer efeito”; “estático”, de statós, “ficar parado”; e “dínamo”, de d’ynamis, “força”. O termo “bateria” tem sua raiz na palavra latina para “bater”, numa analogia da bateria como unidade de combate militar com células interligadas produtoras de corrente. Grandezas como watt, ampere, volt, ohm, hertz, tesla, coulomb e outras são batizadas com o nome de seus descobridores e inventores.

Fonte: Seleções

Lute contra a depressão

Lute contra a depressão




saude-depressao-capaEstudos têm revelado que há um aumento considerável no número de casos de depressão clínica; em 2007, só no Brasil, foram receitados cerca de 8 milhões dos três antidepressivos mais consumidos no país. A depressão afeta 350 milhões de pessoas no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, e cerca de 10% da população brasileira atualmente.
Para que a depressão seja corretamente diagnosticada e tratada, é precisa que o paciente tenha pelo menos um dos cinco sintomas considerados gerais do transtorno: tristeza e pensamentos negativos, perda de interesse por atividades que antes causavam interesse, alterações no sono, apetite ou peso, fadiga e falta de concentração.
Por ser um transtorno mental, muitas pessoas procrastinam a ida ao médico com medo de serem diagnosticadas com depressão. No entanto, isso só atrapalha ainda mais o processo de cura. Veja as nossas dicas para lutar contra a doença:
Compre um cachorro saude-depressao-cachorroLevar o cão para passear pode ser a chave da felicidade. Como quase sempre os donos de animais de estimação se sentem obrigados a levar seus bichinhos para passear, mesmo que estivessem desanimados e tivessem de enfrentar o frio ou a chuva, uma vez na rua, normalmente sentiam-se melhor. O fato de terem de se exercitar também os mantinha em forma e promovia a interação com pessoas em situações semelhantes, o que ajudava a afastar possíveis sentimentos de solidão e inutilidade.
Faça um novo amigoAs pessoas têm menos amigos do que há trinta anos. Os relacionamentos nos oferecem apoio – seja com amigos, seja com parentes – e nos protegem da depressão profunda. Como, frequentemente, parentes também podem ser a fonte da depressão, fazer novos amigos resulta no melhor caminho. Mas como fazer novos amigos, especialmente agora que você é um adulto mais velho? Matricular-se num curso noturno ou cadastrar-se num site dedicado à terceira idade (o Portal Terceira Idade, por exemplo) pode ser um bom começo. Ou experimente convidar um colega para almoçar ou tomar um drinque depois do trabalho.
saude-depressao-salmaoComa peixeO motivo pelo qual tantos de nós se queixam de depressão pode estar no fato de não comermos peixe suficiente. O elo, dizem os pesquisadores, encontra-se nos ácidos graxos ômega-3. Essas gorduras benéficas ajudam células nervosas, como as do cérebro, a se intercomunicarem com maior eficácia. Estudos realizados sobre a relação entre o consumo de peixe e o humor demonstraram que aqueles que incluíam em sua alimentação peixes gordurosos, como o salmão e o atum, duas ou três vezes por semana durante cinco anos, tinham – significativamente – menos estados de depressão e hostilidade do que um grupo similar que raramente consumia tais peixes. Assim, eleve o seu astral com uma dose diária de ômega-3. Se você não gosta de peixe, experimente tomar 2 colheres (sopa) de óleo de linhaça ou até três cápsulas de 1 g de óleo de peixe por dia.
Fique acordadoPassar uma noite em claro pode sufocar a depressão por um mês inteiro. Ninguém sabe como funciona, mas especula-se que privar-se do sono “reacerta” o relógio interno e isso possibilita a alguém que está deprimido relaxar e dormir melhor.
Paparique-seVocê vive economizando e fazendo tudo da forma menos onerosa possível. Algum dia, segundo suas expectativas, você comprará casacos de cashmere e gastará com outros supérfluos. Não espere tempo demais. Existem provas de que negar a si mesmo constantemente os pequenos prazeres da vida pode levar a uma séria sensação de pesar à medida que se envelhece. Com o tempo, esse sentimento piora, enquanto a culpa pela indulgência passa rapidamente.
Agradeça pelos dias de solNo inverno, o mau tempo, a ausência da luz do sol, o céu cinza, tudo parece conspirar para criar um estado de desânimo. Uma viagem a lugares mais ensolarados lhe dará uma dose de luz natural, que poderá ajudar a melhorar o seu humor. Quando voltar, não só você se sentirá renovado e revitalizado, como também verá que faltarão apenas algumas semanas para a chegada da primavera.
saude-depressao-dia-de-sol

Por trás de nossa ansiedade, o medo de ser desnecessário

Por trás de nossa ansiedade, o medo de ser desnecessário

Por que a dor e a indignação se espalham pelos países desenvolvidos.
 
A irmandade global e a união com o outro não são apenas ideias abstratas
EM VÁRIOS ASPECTOS, nunca houve uma época melhor para se viver. No entanto, a violência atormenta alguns cantos do mundo, e muitas pessoas ainda estão sob as garras de regimes tirânicos. E, apesar de todas as grandes religiões do mundo ensinarem amor, compaixão e tolerância, uma violência impensável é cometida em nome da religião.

Ainda assim, um número cada vez menor de pessoas é pobre e tem fome, menos crianças morrem e mais homens e mulheres sabem ler. Em muitos países, o reconhecimento dos direitos das mulheres e das minorias agora é lei. Ainda há muito a fazer, mas há esperança e progresso.

É estranho, então, ver tanta raiva e descontentamento em alguns dos países mais ricos do mundo. Nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha e em todo o continente europeu, o povo é sacudido por frustrações políticas e pela angústia com o futuro. Refugiados e migrantes clamam pela oportunidade de viver nesses países prósperos e seguros, mas os que
já moram nessas terras relatam uma inquietude tão grande com o futuro que parece ser quase um desamparo.

Por quê?

Uma pequena pista vem de pesquisas sobre como prosperamos. Em uma experiência surpreendente, os pesquisadores constataram que cidadãos idosos que não se sentem úteis têm quase o triplo da probabilidade de morrer mais cedo que os que se sentem úteis. Isso revela uma verdade humana mais ampla: todos precisamos nos sentir necessários.

Ser “necessário” não quer dizer ter um orgulho egoísta, muito menos um apego insalubre à aprovação dos outros. Em vez disso, essa é a fome humana natural de servir a nossos semelhantes. Como ensinaram os sábios budistas do século 13, “quando acendemos um fogo para os outros, também iluminamos nosso caminho”.

Praticamente todas as grandes religiões do mundo ensinam que o trabalho a serviço dos outros reflete nossa natureza mais elevada e, portanto, está no cerne de uma vida feliz. Pesquisas científicas confirmam os princípios comuns às nossas religiões. Americanos que priorizam fazer o bem aos outros têm quase o dobro da probabilidade de dizer que estão muito felizes com sua vida. Na Alemanha, quem busca servir à sociedade tem probabilidade cinco vezes maior de dizer que é muito feliz do que quem não considera esse serviço tão importante. O altruísmo e a alegria andam juntos. Quanto mais nos consideramos um só com o restante da humanidade, melhor nos sentimos.

Isso ajuda a explicar por que a dor e a indignação se espalham pelos países mais prósperos.
O problema não é a falta de riqueza material. É o número crescente de pessoas que não se sentem mais úteis, não são mais necessárias, não estão mais unidas à sociedade.

Hoje, nos Estados Unidos, em comparação com cinquenta anos atrás, o triplo de homens em idade produtiva está fora da força de trabalho. Esse padrão ocorre em todo o mundo desenvolvido, e as consequências não são meramente econômicas. Sentir-se supérfluo é um golpe no espírito humano, que leva ao isolamento social e à dor emocional, além de criar condições para as emoções negativas.

O que podemos fazer para ajudar?

Fonte: Seleções