Seguidores

domingo, 23 de março de 2014

ESMERALDA

ESMERALDA
Ocorre principalmente em rochas metamórficas e pegmatitos graníticos. Na Colômbia ocorre em um
calcário betuminoso escuro junto a pegmatitos.
DEPÓSITOS DE ESMERALDA NO BRASIL
As esmeraldas são formadas por processo hidrot
ermal associado ao magma e metamorfismo. Ocorre
em rochas graníticas, drusas ou pegmatitos e seus arredores. Também podem ocorrer em xistos.
Quase não ocorrem em aluviões,. As jazidas sec
undárias são apenas de meteorização 
DESCRIÇÃO DAS OCORRÊNCIAS
Esmeraldas em Pegmatitos que cortam Rochas Ultrabásicas.
A intrusão de pegmatitos beriliferos em rochas ultrabásicas desenvolve em seu contato um leito
filitoso (sludito) composto de uma mica intermediária entre biotita e flogopita, no qual estão dispersas
as esmeraldas. Essas últimas podem também estar disseminadas em lentes estratiformes de talco-
xistos, que resultam do metamorfismo de rochas ultrabásicas ricas em cromo e são cortados por
pegmatitos, ou foram mineralizados a partir de rochas levemente berilíferas subjacentes
A JAZIDA DE CARNAÍBA (BA)
foi, durante anos, o principal produtor brasileiro, sendo extraídas a
cada ano toneladas de esmeraldas de qualidade bastante variável. Os pegmatitos divergem de um
grande batólito granítico que fez intrusão em rochas ultrabásicas (lavradas nas vizinhanças para
cromita). O conjunto, de idade pré-cambriana médi
a, é anarquicamente lavrado por milhares de
garimpeiros. Quartzo, apatita, schorl e um pouc
o de scheelita, molibdenita e alexandrita estão
associados a esmeralda 
A
JAZIDA DE SOCOTÓ (BA)
fica a NNE das minas de cromita de Campo Formoso e a 50km a NE da
mina de Carnaíba, numa seqüência muito inclinada de gnaisses, quartzitos e talco-xis¬tos associados
a serpentinitos e atravessada por delgados pegmatitos graníticos (Cesta do Povo, Mamona). Como em
Carnaíba, a esmeralda é encontrada no sludito. Estão associados: schorl e morião, com pouco
crisoberilo, alexandrita, molibdenita e fenacita
MINISTÉRIO DE
MINAS E ENERGIA
No
GARIMPO SANTA TEREZINHA DE GOIÁS
(GO) os leitos de talco-xistos, com espessura de
alguns decímetros a vários metros, encaixados em quartzo e sericita-talco-clorita-xistos, são ricos em
esmeraldas, ocorrendo sempre em pequenos cristais.
Os xistos foram dobrados em grandes anticlinais
submeridianas com vergência geral para leste e cujos eixos mergulham para norte. Há várias áreas de
garimpagem (Trechos Velho, Novo, do Zé Maria, do Netinho) onde a exploração das diversas lentes de
talco-xistos se realiza por poços profundos .
Neste garimpo, de Santa Terezinha, ocorrem “dois co
njuntos litológicos distintos, representados pelo
complexo granito gnáissico e pela Seqüência Santa Terezinha, composta pelas litologias referidas”
.
Segundo MENDES, 1989, as “descrições petrográficas referentes ao perfil de um poço de 117 m de
profundidade revelaram que as rochas mineralizadas em esmeraldas são representadas por quartzo-
carbonato-talco xistos (1) e biotita/flogopita xistos, ao passo que as rochas isentas de esmeraldas são
compostas por biotita/flogopita-carbonato xistos (2), moscovita-clorita-carbonato-quartzo xistos e
blastomilonitos.
Essas litologias pertencem às rochas de baixo grau da Seqüência Santa Terezinha. Nas rochas
pertencentes aos níveis mineralizados, a turmalina, o berilo (esmeralda) e os carbonatos exibem
biaxialidade anômala, sugerindo que as encaixantes da esmeralda foram submetidas a esforços
tectônicos após a formação da esmeralda. As esmeraldas de Santa Terezinha de Goiás caracterizam-
se principalmente pela sua cor verde-intensa (MENDES, 1989).
Estudos ópticos, de difração de raios X e de microssonda eletrônica revelaram que a esmeralda de
Santa Terezinha de Goiás contém uma grande variedade de inclusões cristalinas, destacando-se por
ordem de abundância, a cromita, os carbonatos (dolomita e calcita), o talco, a flogopita, a pirita, a
patronita, o quartzo, a barita, o berilo e a ferropargasita. As inclusões fluidas constituem uma feição
notável dessa esmeralda, especialmente quando observadas sob aumentos maiores, podendo-se
afirmar que estão presentes praticamente em to
dos os espécimes estudados. Essas inclusões
possuem uma, duas ou três fases distintas, most
rando uma grande variedade de formas e uma certa
variação nos conteúdos presentes nas cavidades.”
A
MINA BELMONT
, ou de
ITABIRA,
está localizada num complexo de xistos com intercalações de
rochas ultrabásicas alteradas, recortado por pegmat
itos. O conjunto, incluído em gnaisses, está muito
dobrado, com planos axiais NNE-SSW e mergulho
para oeste. As esmeraldas ocorrem num xisto
alterado róseo que contém também um pouco de alexandrita e crisoberilo. (CASSEDANNE, 1991).
A jazida de Salininha, município de Pilão Arcado (B
A), cujas esmeraldas são coloridas pelo vanádio,
está recoberta pelas águas da barragem de Sobradinho. Relacionava-se a um pegmatito cortando
talco-xistos (CASSEDANNE, 1991)..
As outras jazidas brasileiras de esmeralda são de pouca importância e freqüentemente de interesse
histórico (CASSEDANNE, 1991).:
Minas Gerais (Santana dos Ferros),
Bahia (Brumado, Açude Socego, Serra dos Pombos),
Ceará (Tauá),
Goiás (Porangatu, Mara Rosa, Pela Ema, Pirenópolis, Fazenda das Lages)

Nenhum comentário:

Postar um comentário