Seguidores

sábado, 10 de junho de 2017

Segunda Guerra Mundial

A Segunda Guerra Mundial foi o maior conflito da história da humanidade no século XX, ocorrendo entre 1939 e 1945.
As operações militares envolveram 72 nações, resultaram em 45 milhões de mortes, 35 milhões de feridos e 3 milhões de desaparecidos. O custo total da Segunda Guerra Mundial chegou a 1 trilhão e 385 milhões de dólares.
O conflito foi dividido em três fases:
  • As vitórias do eixo (1939-1941);
  • O equilíbrio das forças (1941-1943);
  • A vitória dos aliados (1943-1945).
As incursões do conflito se iniciaram com a invasão da Polônia pela Alemanha no dia 1º de setembro de 1939, e terminaram com a rendição do Japão em 2 de setembro de 1945.
As principais frentes de batalha eram formadas pelas nações do Eixo (integrado por Alemanha, Itália e Japão) e as nações Aliadas (Grã-Bretanha, União Soviética e Estados Unidos).

    Vitórias do Eixo

    A primeira fase da Segunda Guerra Mundial ocorreu com a invasão da Polônia pela Alemanha em 1939.
    Essa fase foi classificada como Sitzkrieg, que significa guerra de mentira. Na tentativa de barrar as incursões do premiê alemão Adolf Hitler (1889 - 1945), os governos de França e Grã-Bretanha impuseram bloqueios econômicos à Alemanha, mas não chegaram ao conflito direto.
    Eficaz no campo de batalha, a Alemanha realizou em 1940, uma operação em que combinou ataques terrestres, aéreos e navais para ocupar a Dinamarca. Assim, a Sitzkrieg passou a ser chamada de Blizkrieg, que significa guerra relâmpago.
    O exército alemão também tomou a Noruega como forma de salvaguardar a proteção do comércio de aço com a Suécia e marcar posição contra a Grã-Bretanha. Para tanto, foi ocupado o porto norueguês de Narvik.
    Ainda em 1940, Hitler ordenou a invasão da Holanda, o que ocorreu em maio daquele ano. A Alemanha invadiu, ainda, a Bélgica e as tropas francesas e inglesas foram cercadas em Dunquenque, uma cidade portuária francesa.
    A reação das forças francesas e inglesas não impediram que o exército alemão rompesse a linha Maginot e invadisse a França. A linha Maginot era constituída por um sistema de trincheiras na divisa com a Alemanha.
    Como resposta ao ataque, a França assinou o armistício com a Alemanha e em 14 de junho, Paris foi declarada cidade aberta.
    Dividida em duas áreas, a França viveria até 1944, o chamado governo de Vichy, sob influência nazista. Dias antes, a Itália, aliada da Alemanha, declarava guerra à França.
    Ainda em 1940, no dia 8 de agosto, a Alemanha bombardeou as cidades britânicas na Luftwaffe e o parque industrial inglês, começando a batalha contra a Grã-Bretanha, que durou até 27 de setembro.
    O exército inglês conseguiu neutralizar as forças alemãs, principalmente pelas ações da força aérea.
    Além do êxito em seu próprio território, o governo da Grã-Bretanha ordenou incursões em solo alemão, o que levou Adolf Hitler adiar os planos de invasão na chamada Operação Leão do Mar.
    A despeito do fracasso, a Alemanha ainda prosseguiu com a missão de isolar a Grã-Bretanha e, em 1941, o exército de Hitler chegou à Líbia, com objetivo de conquistar o canal de Suez.
    Esse período foi marcado pelo fracasso da Itália na África Central e a adesão ao Eixo pelos governos da Romênia, Hungria e Bulgária.
    Em maio de 1941, foram ocupadas a Iugoslávia e a Grécia, resultando no esperado isolamento da Grã-Bretanha.

    Equilíbrio de Forças

    O chamado equilíbrio das forças caracteriza a fase intermediária da Segunda Guerra Mundial, que começa em 1941, com a invasão da União Soviética pelos alemães, e termina em 1943, com a capitulação da Itália.
    A invasão da União Soviética é denominada Operação Barborosa e tinha como finalidade a conquista de Leningrado (hoje São Petersburgo), Moscou, Ucrânia e Cáucaso.
    A entrada do exército alemão ocorreu pela Ucrânia e, posteriormente, pela chegada à Leningrado.
    Quando as forças de Hitler chegaram a Moscou, em dezembro de 1941, foram contidas pela contraofensiva do Exército Vermelho.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário